Tamanho do texto

Se os candidatos "nanicos" desejarem, no entanto, poderão acumular o tempo até poderem exibir uma propaganda eleitoral de 30 segundos

Estadão Conteúdo

A candidata do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Luiza Erundina: tempo escasso para bater de frente com favoritos
Nilson Bastian/ Câmara dos Deputados - 17.04.16
A candidata do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Luiza Erundina: tempo escasso para bater de frente com favoritos


Seis dos 11 candidatos ao cargo atualmente pertencente a Fernando Haddad na Prefeitura de São Paulo terão menos de 15 segundos para se manifestar no rádio e na TV – entre eles a ex-prefeita Luiza Erundina, candidata do PSOL na eleição. No Rio, serão três. 

LEIA MAIS:  Luiza Erundina foca na mobilidade urbana para voltar à Prefeitura de São Paulo

Isso vai acontecer porque a parcela da propaganda distribuída igualitariamente entre os candidatos será de apenas um minuto por bloco do horário fixo – os outros nove minutos serão divididos de acordo com o tamanho da bancada do partido ou coligação na Câmara dos Deputados.

Consequência das novas regras da propaganda eleitoral no rádio e na TV, o tempo previsto pode trazer de volta ao Brasil uma nova legião de "Enéas" – o candidato que, com apenas 15 segundos de tempo de TV em 1989, se notabilizou por falar rápido e gritar ao final o próprio nome para chamar a atenção dos espectadores.

LEIA MAIS:  Candidatos a prefeito terão metade do tempo de exposição na TV em 2016

Nas eleições anteriores, em 2014, o tempo dividido de forma igual entre todos era de dez minutos por bloco. Há, no entanto, uma opção para os candidatos "nanicos" em 2016: se desejarem, eles poderão acumular o tempo até poderem exibir uma propaganda de 30 segundos, em vez de várias com duração menor.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.