Tamanho do texto

Supremo marcou julgamento do caso para a próxima terça-feira (9); candidato do PRB para a Prefeitura de São Paulo é acusado de peculato

Estadão Conteúdo

Celso Russomanno é acusado de colocar servidora da Câmara para trabalhar em sua produtora em São Paulo
Divulgação
Celso Russomanno é acusado de colocar servidora da Câmara para trabalhar em sua produtora em São Paulo

O Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para a próxima terça-feira (9) o julgamento da ação penal contra o deputado federal Celso Russomanno , candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo. Acusado pelo crime de peculato, ele pode se tornar inelegível e ter a candidatura inviabilizada nas eleições municipais de 2016 se for considerado culpado.

O caso será analisado pela Segunda Turma do STF. A previsão anterior era de que o julgamento ocorresse no dia 16, um dia depois da data final do registro das candidaturas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas foi antecipado. A ministra-relatora da ação, Cármen Lúcia, deu prioridade ao processo em seu gabinete.

O deputado federal e apresentador de TV foi acusado de usar uma funcionária de seu gabinete na Câmara dos Deputados para trabalhar em uma produtora de vídeo da qual é proprietário em São Paulo, entre os anos de 1997 e 2001. Ele foi condenado na primeira instância em 2014. Um recurso da defesa subiu ao STF quando Russomanno foi eleito deputado, por causa do foro privilegiado.

Celso Russomanno lidera as pesquisas de intenção de voto  para a Prefeitura de São Paulo, tendo alcançado 29% da preferência dos eleitores paulistanos no último levantamento divulgado pelo Ibope, no dia 29 do mês passado.