Tamanho do texto

Rio de Janeiro - O boicote proposto pela União Nacional dos Estudantes (UNE) ao Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade), cujas provas foram aplicadas hoje (9), não funcionou no Rio de Janeiro.

Os estudantes de faculdades públicas e privadas compareceram em peso aos locais das provas. Segundo a assessoria do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep), organizador do exame, na primeira hora da prova, pouquíssimas pessoas apenas assinaram o nome e entregaram a prova em branco. Essa tinha sido a orientação da UNE. .

A reportagem da Agência Brasil percorreu vários locais de provas na capital fluminense e apenas em alguns colégios da zona sul havia representantes da UNE panfletando a favor do boicote ao Enade..

Apesar dos avanços na implantação do Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior [Sinaes], a política de avaliação do Ministério da Educação ainda é insuficiente, por isso, pelo segundo ano consecutivo, pregamos que o estudante apenas assine e entregue a prova em branco, pois desta forma, ele não sofrerá punição e seu diploma não ficará retido, explicou o membro do diretório estudantil da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Amílcar de Souza, que foi a um dos colégios panfletar..

Ele admitiu, porém, que a mobilização para o boicote no Rio não apresentou os resultados esperados. Para Rodrigo da Silva Vasco Pereira, de 22 anos, que cursa Engenharia Elétrica na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), o boicote ao exame não tem consistência e, por isso, ele não aderiu..

Mesmo sendo obrigatório, já que, se não fizer o exame o diploma fica retido, acho que o Enade é importante porque faz o nivelamento das faculdades. Também acho que os professores se esforçam em dar um bom curso e isso a gente tem que valorizar, disse o estudante que fez a prova do exame nacional.

No Rio, as provas foram realizadas em 33 dos 92 municípios, com 60.792 estudantes inscritos. O Ministério está avaliando 24.842 cursos de graduação de 2.367 instituições de ensino superior no estado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.