Tamanho do texto

Segundo a Secretaria de Educação, cerca de 3,7 milhões de estudantes retornarão à rotina escolar nas 5 mil unidades de ensino do Estado

Retorno às aulas em São Paulo acontece em todas as 5 mil escolas estaduais de São Paulo
Diogo Moreira/A2 Fotografia/Governo de SP
Retorno às aulas em São Paulo acontece em todas as 5 mil escolas estaduais de São Paulo

A Secretaria de Estado da Educação de São Paulo informa que, com o fim do período de recesso escolar, cerca de 3,7 milhões de alunos da rede estadual de ensino retornarão às aulas na próxima segunda-feira (31) para o segundo semestre letivo.

Leia também: Quadrilha que fraudava vestibular em Goiás é denunciada pelo MP

O calendário da rede de ensino de São Paulo , publicado no Diário Oficial do Estado no início deste ano, define que a data de retorno é a mesma em todas as 5 mil unidades de ensino fundamental, médio e EJA (Educação de Jovens e Adultos).

Para garantir o cumprimento dos 200 dias letivos, conforme prevê a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), as escolas devem encerrar a programação pedagógica, no mínimo, no dia 21 dezembro.

O planejamento semestral, no entanto, sofreu alteração, de acordo com o artigo 6º, da resolução SE-67. Desde a data da publicação, passa a vigorar que o período de planejamento ou replanejamento do segundo semestre deve acontecer nos dias 31 de agosto e 1º de setembro, nas escolas da rede pública do Estado.

Matrículas e transferências

As escolas recebem matrículas de novos alunos interessados em ingressar na rede estadual durante todo o ano letivo. Para fazer o cadastro, é necessário comparecer a unidade de ensino mais próxima e preencher o formulário.

Leia também: Termina hoje prazo para inscrições de novos contratos do Fies

É necessário apresentar documento de identidade (certidão de nascimento e RG) e comprovante de residência. No caso de alunos menores de idade, o cadastro deve ser feito por pais ou responsáveis. O aluno, então, será encaminhado para a escola pública mais perto de sua residência, onde houver vaga.

Outra opção para quem quer conquistar o diploma ainda em 2017 são os CEEJA (Centros Estaduais de Educação de Jovens e Adultos) com presença flexível. Nas 31 unidades em funcionamento em diferentes regiões, o participante recebe os roteiros de estudos e deve comparecer à escola quantas vezes forem necessárias para obter orientações, tirar dúvidas com os professores, frequentar oficinas e realizar as avaliações parciais e finais.

Leia também: USP oferece acesso gratuito a aulas virtuais de professores da universidade

Para quem está atrasado com os estudos, é possível optar pela EJA. Dividida em termos, a EJA oferece o ciclo Fundamental aberto a estudantes com idade mínima de 15 anos e com duração de quatro semestres. Já o Médio é voltado a candidatos acima de 18 anos e conclusão em três semestres. O governo de São Paulo informa que, além da atenção ao currículo oficial, o projeto pedagógico é propor aulas que dialoguem com a vida profissional e cotidiano dos alunos.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.