Tamanho do texto

Instituto negou que o tema da redação sobre intolerância religiosa no Brasil seja o mesmo da suposta prova do exame que teria vazado em 2015

Enem: tema que supostamente havia sido vazado em 2015 era
Reprodução/Facebook
Enem: tema que supostamente havia sido vazado em 2015 era "intolerância religiosa", mesmo tema cobrado neste ano

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou nesta segunda-feira (7) uma nota rechaçando a repercussão de uma suposta semelhança entre o tema da redação do Enem deste ano com o de uma imagem de uma prova do exame que teria vazado em 2015. Para o Inep, a informação é uma “tentativa de tumultuar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016”. 

A imagem com o título “Prova Falsa” foi publicada em outubro do ano passado no Facebook do Ministério da Educação para desmentir boatos de vazamento da prova do Enem de 2015. Na publicação, o tema da redação é "Intolerância Religiosa no Século 21". No entanto, a redação da prova do ano passado foi sobre “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira”.

Na redação aplicada no domingo (6), o tema foi "Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil" . Após a saírem do exame, internautas voltaram a comentar a imagem postada no Facebook do MEC no ano passado. O fato também foi noticiado pela imprensa.

O Inep negou que o tema da redação deste ano seja o mesmo da prova falsa. “O tema da redação do Enem 2016, 'Caminhos para Combater a Intolerância Religiosa no Brasil' não é o mesmo de uma prova falsa divulgada às vésperas do Enem 2015, com o tema 'Intolerância Religiosa no Século 21'”, diz a nota.

E completa que “abordar simplesmente o tema a intolerância religiosa no século 21 não permite que o participante desenvolva uma proposta de intervenção na realidade respeitando os direitos humanos, o que contraria os pressupostos metodológicos previstos no edital”.

Ainda na nota, o Inep diz que todos os anos são veiculadas, em diversas redes sociais, falsas provas de redação com os mais variados temas de relevância social que, muitas vezes, mantêm uma relação com o que pode ser proposto em redações do exame.

O instituto condena a “criação de falsas polêmicas com objetivos políticos” e “sem qualquer compromisso com a educação”.

Polêmicas

O tema da prova desse domingo (6), “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil”,  criou polêmicas e causou alvoroço nas redes sociais . Muitos internautas citam questões políticas, tais como a influência da bancada evangélica no Congresso Nacional e, ainda, a eleição de candidatos no pleito municipal ligados às igrejas evangélicas.

Outros saem em defesa: "sobre Intolerância Religiosa: sim, o Estado é (ou deveria ser) laico, mas laico não significa anti-religioso, ok? ok", diz usuário. "Tema da redação do Enem sobre intolerância religiosa. Tema bom, porém polêmico", diz usuária do Twitter. "Uma dica: Intolerância Religiosa atacando Intolerância Religiosa estará errado!", aconselha outra usuária na rede social.

    Leia tudo sobre: Enem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.