Tamanho do texto

Em nota, União Brasileira dos Estudantes Secundarista se exime de culpa por adiamento que vai afetar 191 mil alunos; "querem por uns contra os outros"

A União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) divulgou nota na noite desta terça-feira (1º) condenando a decisão do Ministério da Educação (MEC) de adiar a aplicação da prova do Enem  para 191 mil candidatos que fariam o exame em 304 escolas ocupadas pelo movimento estudantil. Os alunos prejudicados ainda serão informados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep) via SMS e deverão fazer a prova nos dias 3 e 4 de dezembro.

No texto, que também é assinado pela União Nacional dos Estudantes (UNE) e pela Associação Nacional de Pós-graduandos (ANPG), os movimentos acusam o MEC de "ameaçar os estudantes por meio do cancelamento do Enem " e de tentar "colocar os estudantes uns contra os outros".

LEIA TAMBÉM:  Juiz autoriza uso de técnicas de tortura em escola ocupada

Estudantes ocupam escolas em protesto contra a reforma do Ensino Médio e contra a PEC do teto de gastos públicos
Wilson Dias/Agência Brasil - 08.10.2016
Estudantes ocupam escolas em protesto contra a reforma do Ensino Médio e contra a PEC do teto de gastos públicos

"O diálogo poderia ter garantido a realização do Enem em todo o Brasil, mas esse não foi o caminho escolhido pelo MEC, que desde o princípio ameaçou os estudantes por meio do cancelamento e da responsabilização das entidades e ocupantes", expõe o texto. "Ao adiar a realização do Enem nas instituições ocupadas, o ministério tenta lamentavelmente colocar os estudantes uns contra os outros, buscando enfraquecer o movimento legítimo das ocupações."

LEIA TAMBÉM:  Enem: pais que criticam a escolha da faculdade podem prejudicar o candidato

Os líderes do movimento que já chegou a ocupar, segundo os próprios grupos, mais de 1.200 escolas e 139 universidades em todo País em protesto contra a reforma do Ensino Médio e a PEC que cria um teto para os gastos públicos, alegam ainda que irão tentar reverter o adiamento da prova do Enem.

"Seguiremos nos empenhando nesse diálogo torcendo para que a decisão precipitada do MEC possa ser revertida", escrevem os estudantes.

Adiamento

Ao todo, o número de inscritos que serão prejudicados pela decisão anunciada nesta terça-feira pelo MEC chega a 191.494. Os estados do Paraná, com 74 ocupações, e Minas Gerais, com 59, têm o maior número de locais de provas atingidos pela mudança do Enem. A lista das escolas em que haverá o adiamento do Enem 2016 já foi disponibilizada pelo MEC e pode ser conferida neste link .

LEIA TAMBÉM:  Melhor aluno do Enem 2015 e professores dão dicas de estudo para a reta final

    Leia tudo sobre: Enem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.