Tamanho do texto

Desconfiança é grande no Brasil, mas investimentos existentes nesse tipo de instituição de ensino superior fazem delas uma boa escolha para calouros

A Fuvest – que seleciona estudantes para as 9.568 vagas da Universidade de São Paulo (USP) e para as 120 vagas do curso de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo – recebeu 142,6 mil estudantes em sua última edição. A concorrência no curso de Medicina, por exemplo, chegou a 72 candidatos por vaga . Esses números deixam claro o déficit existente entre o número de jovens que querem ingressar no ensino superior e as vagas oferecidas pelo Estado. 

LEIA TAMBÉM:  Apenas 31% dos professores de ensino básico têm pós-graduação, diz levantamento

Nesse cenário, o número de instituições do ensino superior privadas cresceu 108,2% nos últimos 13 anos, de acordo com o Semesp (Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior de São Paulo). Porém, muitos estudantes ainda veem as instituições de ensino privadas com desconfiança. 

Existe preconceito em fazer uma faculdade particular?

Ano após ano, vemos as instituições de ensino particulares dominarem o ranking entre as melhores universidades do mundo. Apesar disso, os brasileiros ainda apresentam certo receio em relação às universidades privadas, que são classificadas por muitos como de "segunda linha".

O mercado de trabalho, no entanto, não tem a mesma visão. “Preferimos um bom aluno de uma faculdade considerada 'de segunda linha' a um aluno medíocre de uma faculdade de primeira linha”, revela Mônica Santos, responsável pelo RH do Google América Latina, em entrevista.  Essa afirmação reforça o quanto as instituições particulares têm conseguido reverter essa classificação popular. Vemos abaixo o porquê. 

Vantagens de estudar em uma faculdade particular

Grades curriculares das instituições privadas são atualizadas com mais agilidade, tornando-as mais adequadas ao mercado
Agência Brasil
Grades curriculares das instituições privadas são atualizadas com mais agilidade, tornando-as mais adequadas ao mercado

· Infraestrutura : prédios, áreas comuns, salas maiores, com acomodações modernas e confortáveis. Dentro de uma universidade privada, há mais investimentos voltados para tecnologia e recursos materiais, como equipamentos de laboratório e materiais didáticos oferecidos ao aluno.

· Organização : ao contrário das faculdades públicas, o risco de greve em uma instituição particular é praticamente inexistente. Isso porque grande parte delas investe constantemente na contratação e manutenção do corpo docente.

· Cursos atuais : dentro de uma instituição privada, a burocracia para criação de novos cursos é menor e há mais recursos para realizar o procedimento de credenciamento junto ao MEC (Ministério da Educação). Dessa forma, há opções de cursos mais atuais, condizentes com as demandas do mercado de trabalho.

· Grade curricular: da mesma forma e pelos mesmos motivos, as grades curriculares das instituições privadas são atualizadas com mais agilidade, tornando-as mais adequadas às necessidades do mercado.

· Corpo docente:  a remuneração e plano de carreira oferecidos pelas faculdades particulares são os principais fatores para que seus professores tenham comprometimento com a qualidade de ensino passada em aula. É muito simples: caso não tenham um bom desempenho, eles podem ser substituídos (ao contrário das universidades públicas, nas quais os professores são concursados). Além disso, a maioria leciona em faculdades públicas e particulares, ou seja, o conhecimento repassado dentro da sala de aula muitas vezes é o mesmo. 

· Segurança:  é muito raro ver relatos sobre esse tipo de problema em faculdades privadas nos noticiários, ao contrário do que ocorre em relação às universidades públicas. Isso porque no ensino particular não existe dependência do sistema público de segurança e há equipes dedicadas para proteção de seus alunos.

· Horários mais flexíveis: muitos cursos de universidades públicas possuem carga horária complexa, com aulas em vários períodos do dia em decorrência da grande demanda de alunos aliada aos poucos professores e infraestrutura limitada. Nas faculdades particulares isso não ocorre, o que facilita aos estudantes conciliar estudos e trabalho.

· Garantia de formação: ao estudar em uma faculdade privada, o aluno tem garantia de que seu curso terminará no prazo estabelecido. No ensino público há muitas greves, o que ocasiona atraso (às vezes de anos) no término do curso.

· Parcerias internacionais: muitas faculdades particulares têm como diferencial parcerias com instituições no exterior. Isso agrega muito valor ao currículo e conhecimento do estudante.

Oportunidade de estudar com bolsa de estudo

O iG, em parceria com a eduit., lançou em junho desse ano o canal iG Bolsas de Estudo , que oferece bolsas de estudo em faculdades particulares como FMU , Unicsul - Cruzeiro do Sul , Unisant’anna  e Unicid .

Os descontos ultrapassam 70% e são garantidos em todas as mensalidades. A economia ao final do curso de Administração na Faculdades Oswaldo Cruz , por exemplo, é de aproximadamente R$ 24.000.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.