Tamanho do texto

Disciplinas como história, geografia e sociologia podem utilizar histórias em quadrinhos para trabalhar o contexto histórico-social da época; veja dicas

Histórias em quadrinhos podem ajudar nos estudos de forma lúdica e também contextualizada no  Enem e vestibulares
Pixabay
Histórias em quadrinhos podem ajudar nos estudos de forma lúdica e também contextualizada no Enem e vestibulares

Diversas histórias de super-heróis foram influenciadas pelo contexto histórico e pelo avanço científico em relação à época em que foram criadas. Separamos uma série de exemplos e como tais histórias podem ajudar nos estudos  para os principais vestibulares, principalmente o Enem.

LEIA MAIS:  Oportunidade para testar conhecimentos - 3º simulado do Enem 

Mas como utilizar esse contexto para estudar para o Enem ? "Tanto disciplinas como história, geografia e sociologia podem se utilizar desses quadrinhos para trabalhar o contexto histórico-social da época, assim como para entender os motivos da criação desses personagens, para vasculhar os pormenores dessa criação, entre outras possibilidades.

As áreas de Ciências Naturais também  com as referências citadas nestes quadrinhos. Mutação, Radiação, Biotecnologia, Energia, entre outros assuntos tão incidentes nas provas de Vestibulares e Enem”, explica Luiz Rafael,  professor do colégio Mopi.

Confira abaixo três títulos:

1.     Superman: o contexto histórico da criação

HQ: Superman foi criado em 1938
Pixabay
HQ: Superman foi criado em 1938

Superman foi criado em 1938, em uma época de recuperação da crise de 1929. Após os anos 30, o poder aquisitivo de muitos americanos diminui e uma das saídas para “viver aventuras” estava relacionada aos quadrinhos. Na criação do Superman, seus autores construíram um ser de moral inabalável, caráter exemplar, inatingível por quaisquer problemas que apareciam na sua frente.

Uma imagem a ser seguida como exemplo, quase uma idolatria, por cidadãos americanos se recuperando de um país em crise. Superman foi um ícone da resiliência e resistência americana perante os contratempos econômicos.

Como utilizar esse contexto para estudar para o Enem?

Ao observarmos o motivo da criação do herói em questão, sugere-se associar os motivos da Crise de 29 e sua finalização com a 2º Guerra Mundial e a inserção da imagem do herói nesse momento. Podem ser feitos em sala de aula mapas conceituais, infográficos, entre outros.

2.     Capitão América:  estímulo à guerra

Capitão América teve sua criação no ano de 1941
Domínio Público
Capitão América teve sua criação no ano de 1941

Capitão América teve sua criação no ano de 1941, no mesmo período da entrada dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial. Seus quadrinhos foram distribuídos nos acampamentos dos soldados como forma de incentivo e ânimo para os combatentes, demonstrando que, assim como nosso herói, os soldados poderiam ser SuperSoldados, combatentes da liberdade contra, principalmente, a influência e ideologia nazista.

Na capa da primeira revista do herói vemos o mesmo desferindo um soco em Hitler, o que causou grande impacto na época. Vale lembrar que mesmo sendo de produção americana e também distribuído principalmente em solo americano, os quadrinhos foram veiculadores de informação em todo o mundo. Imagine o que seria para algum integrante do eixo receber uma revista em que se falava que os Estados Unidos produziam supersoldados?

Como utilizar esse contexto para estudar para o Enem?

Analise a data de publicação da primeira revista do Capitão América e o envio de tropas americanas para o front de batalha. Será que os quadrinhos previram uma situação prestes a explodir?

LEIA MAIS:  Enem - Forças Armadas farão a segurança das provas para evitar vazamentos

Outra forma para usar este quadrinho em sala de aula é brincar com a imaginação: escreva um texto contando como seria se realmente os Estados Unidos tivessem a técnica para produção de SuperSoldados? Será que a guerra tomaria o mesmo rumo?

3.     Como criar um Supersoldado

Nem só do contexto histórico vivem as utilizações dos quadrinhos para o vestibular. Podemos utilizar os fatores responsáveis pela transformação de Steve Rogers em SuperSoldado e analisar pela luz de nossas tecnologias atuais.

LEIA MAIS:  ECA-USP adotará seleção por meio do Enem para a maioria dos cursos

Steve Rogers, para se transformar em um supersoldado, precisou ter injetado em si o soro do SuperSoldado, ativado por radiação dos chamados Raios Vita. Percebe-se que os conhecimentos sobre os tipos de radiação ainda eram rudimentares, sendo necessário, então, que os autores inventassem um novo tipo de radiação que faria a ativação do soro no corpo do candidato. Hoje, podemos ver que técnicas surgiram com o advento da Biotecnologia – que poderiam muito bem representar o processo da criação do SuperSoldado.

Como utilizar esse contexto para estudar para o Enem?

Observar como as técnicas recentes da Biotecnologia se enquadrariam nos escritos antigos da origem do Capitão América. Se ele fosse criado nos dias atuais, como seria feito o processo? A discussão dos princípios bioéticos das pesquisas em biotecnologia também é interessante. Será que o avanço da Ciência é uma liberação para a criação de soldados super-humanos?

    Leia tudo sobre: Enem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.