Tamanho do texto

Ele estava internado no Hospital Sírio Libanês, mas causa da morte ainda é desconhecida; sepultamento será nesta segunda

O psiquiatra Içami Tiba ao lado de alguns dos livros de sua autoria em livraria na região central de São Paulo
Facebook/Reprodução
O psiquiatra Içami Tiba ao lado de alguns dos livros de sua autoria em livraria na região central de São Paulo

O psiquiatra, educador e escritor Içami Tiba morreu na noite deste domingo, em São Paulo. Ele estava internado no Hospital Sírio Libanês, mas a causa da morte não foi divulgada. Somente foi divulgado que o sepultamento será realizado às 16h desta segunda-feira (3) no Cemitério do Morumbi, na capital paulista.

Referência como educador, Tiba era diplomado em medicina pela Universidade de São Paulo (USP) e especializado em psiquiatria pelo Hospital das Clínicas, onde lecionou e ficou reconhecido por sua linguagem leve e coloquial.

Içami concedeu entrevista ao iG , em 2011, na qual disse que "nós educamos os filhos para que eles usem drogas". Confira a íntegra aqui .

Leia mais: Um dos maiores nomes do circo, Orlando Orfei morre aos 95 anos

Descendente de imigrantes japoneses, em 2014 Içami Tiba foi considerado pelo Ibope a maior referência brasileira e a terceira maior entre estrangeiros no campo da psicologia. Ele escreveu 29 livros que tiveram, ao todo, mais de quatro milhões de exemplares vendidos. 

Suas principais obras foram o best-seller "Quem ama, educa", "Homem Cobra Mulher Polvo" e "Juventude & Drogas - Anjos Caídos" e "Família de Alta Performance - Conceitos Contemporâneos na Educação.