Tamanho do texto

Segundo a Apeoesp (sindicato), 50 mil participam do protesto. Já a Polícia Militar afirma que há apenas mil manifestantes no local. Docentes estão em greve desde o dia 13 de março

Os professores da rede estadual de São Paulo caminham em passeata e bloqueiam uma das pistas da Marginal do rio Pinheiros após decidirem em assembleia na Avenida Paulista, nesta sexta-feira (8), manter a greve iniciada no dia 13 de março.

Segundo a Apeoesp (sindicato dos professores), 50 mil participam do protesto, que começou às 14h. Já a Polícia Militar afirma que há apenas mil manifestantes no local.

A assembleia foi realizada no dia seguinte à Justiça proibir o corte de ponto dos profissionais paralisados em uma decisão liminar.


Leia também:  Professores da rede estadual de São Paulo mantêm greve

A categoria pede reajuste de 75% para o salário dos professores, que hoje parte de R$ 2.145 para 40 horas semanais, entre outras pautas. A secretaria de Educação afirma que os professores receberam aumento de 45% nos últimos quatro anos.

Nova reunião entre governo e professores está agendada para o dia 13 de maio. A próxima assembleia foi marcada para o dia 15.

Segundo nota da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, "o governo lamenta mais uma vez a decisão da Apeoesp de manter uma greve nitidamente contaminada por interesses incompatíveis com o momento econômico atual". A secretaria ainda acrescenta que "a atual política salarial já garantiu 45% de aumento a todos os professores do Estado nos últimos quatro anos, sendo 21% de aumento real".


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.