Tamanho do texto

Dentre os que zeraram, 217.339 fugiram ao tema ; 13.039 copiaram textos da prova; 955 feriram os direitos humanos

Agência Brasil

Entre os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), sobre a edição 2014 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) , chama a atenção o grande número de candidatos que tiraram a nota zero na prova de redação: 529.373. O total corresponde a 8,5% dos participantes do exame. Na outra ponta, apenas 250 estudantes obtiveram a nota máxima. Na edição de 2013, com menos inscritos (7.173.574 inscritos contra 8.721.946 em 2014), 481 tiveram nota mil e 106.742 redações com nota zero.

Mas o que leva os estudantes a irem tão mal na prova de redação? Segundo o Inep, as redações com nota zero deixaram de atender ou infrigiram os critérios de correção estabelecidos no edital. Dentre os que zeraram a redação, 217.339 fugiram ao tema "Publicidade infantil em questão no Brasil"; 13.039 copiaram textos motivadores da prova; 7.824 escreveram menos de sete linhas; 4.444 não atenderam ao tipo textual solicitado; 3.362 zeraram por parte desconectada e 955 por ferirem os direitos humanos. Outros 1.508 tiveram suas redações anuladas por outros motivos.

De acordo com o professor de língua portuguesa Marcelo Freire, do Colégio JK de Brasília, o exame de 2014 trouxe um tema mais abrangente que do ano anterior, e, com isso, muitos candidatos podem ter se perdido na condução do tema.

"Ao se depararem com um tema aberto, muitos alunos foram tratar ou só de publicidade ou só da questão infantil ou mesmo tangenciaram esse assunto, o que os levou à nota zero", afirmou. Em 2013, a prova abordou um assunto debatido quase que exaustivamente pela mídia: "os efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil".

Confira os temas que já caíram na redação do Enem


Dificuldade com dissertação

Além disso, não ter estruturado o texto conforme a tipologia textual pedida, no caso a do texto dissertativo-argumentativo, é um erro comum dos alunos. Marcelo Freire considera que se o aluno tivesse o mínimo domínio das características do texto pedido poderia ter desenvolvido um texto no mínimo razoável. "O bom aluno está preparado para [escrever sobre] qualquer tema. Ele já chega na prova do Enem sabendo o tipo de texto e isso já é uma vantagem", diz ele.

A professora de língua portuguesa Viviane Faria, do Gran Cursos Online e do curso de Reciclagem de Língua Portuguesa, acredita que os estudantes tenham dificuldade em usar elementos que conectem as ideias expressas no texto.

"Vamos supor que um candidato que venha a escrever sobre esse tema ache que a publicidade infantil é muito agressiva; que ache que o fato dos super-heróis serem aliados à propaganda alimentícia, por exemplo, seja agressiva para a criança, pois ela ache que se comer aquele alimento vai ficar igual ao super-herói. Esse seria um argumento do candidato que estaria se posicionando contra a publicidade infantil abusiva. Só que na redação inteira ele fica falando sobre a questão super-herói/alimento. Pronto! Ele acaba de fugir do tema", exemplifica.

Um outro problema que a professora levanta é o não atendimento número mínimo de linhas (sete linhas) estipuladas para desenvolver o tema da redação. Segundo ela, a desclassificação das redações que não atendem esse requisito ocorre porque praticamente não há como cumprir com as características textuais do texto dissertativo-argumentativo em menos de 20 linhas.

Formação do cidadão

Segundo Marcelo Freire, a prova do Enem de 2014 trouxe um aviso para as próximas edições do exame. "A prova de 2014 pediu uma reflexão do aluno, reflexão sobre um assunto da atualidade. Não de um tema ou fato específico, mas de um assunto de relevância, de importância para a construção social. Então, os alunos em 2015 estarão certamente preocupados com essas áreas de conhecimento que dizem respeito à formação do cidadão, aos processos de socialização, aos processos de educação", opina ressaltando a necessidade do estudante acompanhar o noticiário e criar um hábito de leitura para que possa ter uma visão mais ampla e crítica do mundo.

Da mesma opinião é a professora Viviane, que, além da ampliação do hábito de leitura, enfatiza que para ir bem na redação do Enem e dos vestibulares das universidades também é preciso que os alunos treinem a escrita. "Nenhum atleta ganha uma olimpíada se ele não teve uma vida de treinos. Se você quer fazer uma excelente redação, treine. Pegue temas sociais, verifique o que está acontecendo no mundo, crie a sua opinião, tenha um senso crítico e escreva."

As notas individuais do Enem estão disponíveis no site do Inep. Para ter acesso ao resultado, os candidatos precisam do número de inscrição ou do CPF e da senha criada na hora da inscrição. A senha pode ser recuperada no próprio site. 

    Leia tudo sobre: enem