Dino

A emergência causada pela pandemia da COVID-19 fez com que muitos projetos fossem adiados. Ainda assim, alguns casais demonstraram que, apesar das adversidades, o amor é capaz de se adaptar e crescer, unindo forças para superar as incertezas. Com o isolamento, muitos namorados passaram a aproveitar mais tempo para dedicar um ao outro e fortalecer o relacionamento. Em um contexto de colaboração e compreensão, essa atmosfera propiciou uma maior sintonia entre os dois , aumentando as certezas sobre um futuro juntos e resultando em muitos noivados durante a quarentena. Esse foi o caso da noiva Eduarda, que deixou seu depoimento na Comunidade do site Casamentos.com.br:

“Hoje vim contar para vocês que finalmente fui pedida em casamento! Não sei por que os homens demoram tanto, [risos]. Acabou que não foi nada como planejado, pois a pandemia nos impediu de viajar... E também não deu pra ir em nenhum restaurante! Foi em casa mesmo, simples, mas com muito amor! E cheio de ansiedade, pois ele não aguentava mais guardar o anel, [risos]! E eu amei!” , contou. 

Assim como Eduarda, cerca de 63% dos brasileiros celebram o noivado em um dia específico , segundo dados do Relatório Global de Casamentos de Casamentos.com.br e dos demais portais do grupo TKWW, significando o quanto esse momento é importante na vida de um casal e necessita ser marcado. De acordo com a mesma pesquisa, 35% dos noivos viviam juntos antes do enlace : um número que a quarentena pode ter impulsionado, estimulando com que mais casais decidissem oficializar a união no ambiente doméstico. O noivado de Ana C., por exemplo, foi durante um pequeno evento privado em casa:

“Sempre quis vir falar isso aqui, mas agora é oficial: meu namorado me pediu em casamento em um arraial privado que teve aqui em casa com as pessoas que moram aqui. Foi tudo surpresa e eu não esperava. Foi muito lindo e agora eu começo a saga do ‘o que tenho que fazer primeiro’. Help me!”, contou na comunidade de Casamentos.com.br.

A consolidação da relação e do lar como objetivo

Os especialistas da equipe de inspiração de Casamentos.com.br atribuem o fenômeno dos pedidos de casamento em quarentena às circunstâncias especiais pelas quais a sociedade está passando. O confinamento, a distância social, as restrições a algumas atividades e a reflexão têm levado as pessoas a valorizar suas relações mais do que nunca. 

"Vemos os pedidos de casamento em quarentena acontecerem com casais que passaram pelo confinamento juntos e com muitos que ainda não estão vivendo sob o mesmo teto.  A convivência os ajudou a perceber quem é a pessoa com quem gostariam de passar o resto de seus dias e com quem estariam dispostos a dar o próximo passo" , explica Nina Perez, CEO da Casamentos.com.br.

Como resultado da quarentena em casa, muitos casais decidiram "consolidar seu ninho" para empreender os mesmos futuros projetos de vida. Essas motivações, que já existiam antes da situação gerada pela COVID-19, foram intensificadas na quarentena. Segundo o último estudo anual de pesquisa de mercado de Casamentos.com.br, os motivos mais populares para o casamento dos brasileiros são  “ dar um passo adiante na relação” (63%) , “formar uma família e ter filhos em breve” (37%) e “para viver juntos” (32%), decisões que o confinamento pode ter antecipado. 

Em quarentena, houve mais espaço para demonstrações privadas de carinho

Além disso, a quarentena proporcionou a alguns casais a oportunidade de passar mais tempo livre de qualidade juntos , quando há mais chances de conhecer todas as facetas de um companheiro ou companheira. As motivações para o casamento dos brasileiros estão relacionadas a decisões a largo prazo e de compromisso estável e para compartilhar um futuro. 

De acordo com a análise de TKWW e Casamentos.com.br, das 15 nacionalidades pesquisadas os brasileiros são os que mais gostam de provas de carinho: 43% dos entrevistados afirmam que o que mais querem receber do parceiro são “demonstrações de amor ou uma ajuda útil” . Já 23% preferem receber beijos e abraços, outros 20% priorizam que o parceiro dedique seu tempo livre ao casal e 10% que o cônjuge diga “eu te amo”. Apenas 4% preferem presentes.



Website: https://www.casamentos.com.br/

    Veja Também

      Mostrar mais