Tamanho do texto

Veja quais foram os melhores e piores momentos da cerimônia comandada por Ellen DeGeneres

Selfie com artistas, vaquinha para comprar pizza, discursos emocionantes e até menções a Eduardo Coutinho e Diego Maradona. Tudo isto aconteceu na cerimônia do Oscar 2014 , realizada neste domingo em Los Angeles (2).

Leia também: Em noite morna, Oscar premia "12 Anos de Escravidão"
E
special: Veja a cobertura completa do Oscar 2014

A festa, que premiou "12 Anos de Escravidão", foi bastante morna, em parte por causa da apresentação pouco inspirada de Ellen DeGeneres. Mas também houve momentos marcantes, principalmente nos discursos de alguns vencedores

Veja os melhores e piores momentos do Oscar 2014:

PIORES: A apresentação de Ellen DeGeneres
Em sua segunda vez como mestre de cerimônias (a primeira foi há sete anos), a comediante de novo deixou a desejar. O monólogo de abertura foi curto e fraco, sem piadas memoráveis, e a interação com os artistas teve poucos momentos divertidos. Ellen também deixou algumas brincadeiras se arrastarem demais, como a vaquinha para comprar pizza, citada várias vezes. Que falta fazem Tina Fey e Amy Poehler!

MELHORES: A selfie de Ellen com os artistas
Em seu melhor momento da noite, a apresentadora tirou uma selfie com Meryl Streep, Brad Pitt, Jennifer Lawrence e Bradley Cooper, entre outros astros, que rapidamente quebrou o recorde de post com mais retweets de todos os tempos. A foto, de fato, ficou divertida.

Ellen DeGeneres faz vaquinha para comprar pizza no Oscar
AP
Ellen DeGeneres faz vaquinha para comprar pizza no Oscar

PIORES: O tema "heróis em Hollywood"
Logo no início da cerimônia, Ellen avisou que a festa celebraria diferentes heróis que já passaram pelas telas. Uma série de montagens uniu personagens tão distintos como Abraham Lincoln e Katniss, de "Jogos Vorazes", mas nenhuma delas foi especialmente boa. Vago demais, o tema simplesmente não colou.

MELHORES: Eduardo Coutinho no "In Memoriam"
O público brasileiro se surpreendeu ao ver um dos mais importantes cineastas do País lembrado no tradicional segmento "In Memoriam" , dedicado aos artistas que morreram desde a cerimônia do Oscar anterior. Homenagem mais do que merecida.

Eduardo Coutinho é lembrado no Oscar 2014
Reprodução
Eduardo Coutinho é lembrado no Oscar 2014


PIORES: O discurso de Matthew McConaughey
Agora que se transformou em um dos atores mais quentes de Hollywood, McConaughey pode se dedicar a melhorar seus discursos - ruins em quase todas as premiações da temporada. O do Oscar foi muito longo, pouco eloquente e nada emocionante. Se ficasse só no "all right, all right, all right", teria tido mais impacto.

MELHORES: Poucos cortes nos discursos
Mesmo quem não vai bem nos agradecimentos tem o direito de fazê-los, e a Academia acertou ao utilizar pouco o incômodo recurso de botar a orquestra para tocar e forçar os artistas a saírem do palco. A prática atingiu o auge do mau gosto no ano passado, quando até a trilha sonora de "Tubarão" foi usada para cortar os discursos. Aos produtores, fica a dica: cortem as montagens sobre heróis e deixem os ganhadores curtirem o momento.

Matthew McConaughey, Cate Blanchett, Lupita Nyong'o e Jared Leto comemoram vitória no Oscar
AP
Matthew McConaughey, Cate Blanchett, Lupita Nyong'o e Jared Leto comemoram vitória no Oscar

MELHORES: Jared Leto falando sobre a mãe
Ao aceitar o prêmio de ator coadjuvante por "Clube de Compras Dallas", Leto fez uma bonita homenagem à mãe: "Ela abandonou os estudos e era mãe solteira, mas de alguma forma conseguiu construir uma vida melhor para ela e seus filhos, encorajando-os a serem criativos, trabalharem duro e fazerem algo especial."

PIORES: Jared Leto falando sobre política
Tudo estava bem até o ator adotar um desnecessário tom político e mandar um recado aos "sonhadores" de Ucrânia e Venezuela. "Enquanto vocês lutam para que seus sonhos aconteçam, estamos pensando em vocês esta noite". Agora sim, Kiev respira aliviada.

A atriz Lupita Nyong'o com o Oscar de atriz coadjuvante
AP
A atriz Lupita Nyong'o com o Oscar de atriz coadjuvante

MELHORES: Lupita Nyong'o
Nascida no Quênia e tida como revelação do ano, a atriz foi graciosa em todos os momentos em que apareceu na tela: dançou com Pharrell, comemorou muito a vitória como coadjuvante e fez um discurso emocionado, mas sem a afetação de Halle Berry ou Gwyneth Paltrow, por exemplo. Se alguém ainda não tinha sido conquistado por Lupita, agora foi.

MELHORES: O momento "girl power" de Cate Blanchett
A australiana também foi bem ao aceitar o prêmio de melhor atriz e valorizar histórias centradas em personagens femininas, como "Blue Jasmine": "Os filmes sobre mulheres não são um nicho. As pessoas querem vê-los e eles dão dinheiro", disse Blanchett. "O mundo é redondo, pessoal!"

MELHORES: As inspirações de Paolo Sorrentino
Ao receber o merecido Oscar de filme estrangeiro por "A Grande Beleza", o diretor italiano saiu da mesmice e agradeceu suas fontes de inspiração: os cineastas Federico Fellini e Martin Scorsese, a banda Talking Heads e o ex-jogador de futebol Diego Maradona. Aos jornalistas, explicou: "Eles me ensinaram tudo sobre como fazer um grande espetáculo".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.