Tamanho do texto

Nova ministra receberá carta aberta de entidades no ato de transmissão do cargo

Ana de Hollanda, em foto de arquivo
AE
Ana de Hollanda, em foto de arquivo
A transmissão do cargo de ministro da Cultura ocorrerá neste sábado (01), às 18h, no Auditório do Museu da República. A nova ministra, Ana de Hollanda, já assume sob pressão e receberá, no ato da posse, uma Carta Aberta com cerca de 400 assinaturas de entidades (organizações não-governamentais, centros de cultura, universidades, orquestras) pedindo atenção a certas conquistas da pasta nos últimos 8 anos.

A carta salienta que as entidades não aceitam recuo em alguns assuntos que consideram avanços, como os Pontos de Cultura, o Fórum da Cultura Digital, o Fórum de Mídia Livre, o desenvolvimento de softwares livres, a iniciativa de revisão da lei de direitos autorais e o Marco Civil da Internet, entre outros.

Ao receber o cargo das mãos do antecessor, Juca Ferreira, Ana de Hollanda deverá anunciar seus novos secretários e colaboradores, entre eles um novo presidente para o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O secretário executivo deverá ser Vitor Ortiz, ex-Funarte na gestão de Antonio Grassi e ex-secretário de Cultura de São Leopoldo (RS).

O nome para o Iphan deve ser Márcio Meira, que presidiu a Funai. Essa informação não foi oficialmente confirmada ainda. As duas funções vinham sendo exercidas por Alfredo Manevy e pelo arquiteto mineiro Luiz Fernando de Almeida, que assumiu o Iphan e o Programa Monumenta a convite de Gilberto Gil, em 2003.

A nova ministra disse que pretende reexaminar o projeto de revisão da Lei do Direito Autoral que está na Casa Civil do governo. "Quanto aos direitos autorais, é necessário rever os prós e contras."