Tamanho do texto

Inauguração foi adiada repetidas vezes por desavenças de financiamento, problemas de construção e danos causados pela supertempestade Sandy

Reuters

Quase 13 anos após os ataques de 11 de setembro de 2001 a Nova York e Washington, um museu dedicado aos quase 3.000 mortos irá abrir no dia 21 de maio no local onde ficava o World Trade Center, informaram autoridades nesta segunda-feira (24).

"11 de setembro é um dia que mudou profundamente Nova York e a nação", disse o governador de Nova York, Andrew Cuomo, em um comunicado. "O Museu Memorial unirá os nova-iorquinos no mesmo espírito de unidade que mostramos depois deste ato insensato de terror".

Vista do Museu Memorial Nacional 11 de Setembro, em Nova York
AP
Vista do Museu Memorial Nacional 11 de Setembro, em Nova York

A abertura do Museu Memorial Nacional 11 de Setembro foi adiada repetidas vezes por desavenças de financiamento, problemas de construção e danos causados pela supertempestade Sandy em 2012, e será precedida de um período de consagração de cinco dias entre 15 e 20 de maio.

Siga o iG Cultura no Twitter

Durante esse período, só poderão entrar familiares, sobreviventes, trabalhadores de socorro e recuperação e funcionários de agências que perderam pessoal nos ataques. Eles não pagarão entrada, mas outros visitantes pagarão 24 dólares para visitar o museu, disse Anthony Guido, porta-voz do Memorial.

O museu irá homenagear as vítimas e revisitar os sequestros de 11 de Setembro por meio de artefatos recuperados dos escombros, testemunhos em vídeo e outros ítens históricos.

Nos ataques, integrantes da Al Qaeda sequestraram quatro aviões de passageiros e atiraram três deles contra as torres gêmeas do World Trade Center e o Pentágono. Os passageiros do quarto avião dominaram os sequestradores antes que atingissem seu alvo, e a aeronave caiu em um campo na Pennsilvânia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.