Tamanho do texto

Herdeiro do setor de cosméticos Leonard Lauder doa 78 obras cubistas avaliadas em cerca de R$ 1,9 bilhão; valor seria 13% de sua fortuna

BBC

O museu Metropolitan de Nova York recebeu uma doação de obras no valor de US$ 1 bilhão (cerca de R$ 1,9 bilhão) do herdeiro do setor de cosméticos Leonard Lauder.

O herdeiro do império criado por Estée Lauder prometeu entregar 78 obras cubistas para o museu. As obras fazem parte de uma das principais coleções cubistas do mundo e inclui obras de Pablo Picasso, Georges Braque, Juan Gris e Fernand Leger.

O Metropolitan Museum of Art, em Nova York
AP
O Metropolitan Museum of Art, em Nova York

Em uma declaração divulgada após a doação, Lauder, de 80 anos, afirmou que a doação é um presente para "as pessoas que vivem e trabalham em Nova York e aqueles do mundo todo que vêm visitar nossa grande instituição de artes".

O Metropolitan, ou Met, como é conhecido, afirmou que antes da doação, não tinha muitas obras de arte do começo do século 20. Mas, com estes novos quadros, o museu agora está na vanguarda das coleções do mundo todo.

Siga o iG Cultura no Twitter

"Há tempos sentíamos falta desta dimensão crítica da história do modernismo. Agora, o cubismo será representado com algumas de suas maiores obras-primas" afirmou o diretor do museu, Thomas Campbell.

'Le Fumeur', de Fernand Léger, uma das obras doadas ao Met
AP
'Le Fumeur', de Fernand Léger, uma das obras doadas ao Met

Campbell disse ainda que a coleção é "notável por sua qualidade (...) e profundidade", com 33 obras de Picasso, 17 de Braque e 14 de Gris e Leger.

Quatro décadas

Lauder reuniu este acervo durante quase quatro décadas com o objetivo de contar a história de um movimento que revolucionou a arte moderna e abriu caminho para os trabalhos mais abstratos no século 20.

"Escolhi o Met como uma forma de dividir esta coleção pois senti que (o acervo) é essencial para o cubismo - e a arte que surgiu depois disso - ser visto e estudado dentro das coleções de um dos maiores museus enciclopédicos do mundo", afirmou Lauder.

Acredita-se que o valor da coleção alcance cerca de 13% do total da fortuna pessoal do herdeiro, de acordo com a revista Forbes. A revista destaca que a doação de Lauder ao Met "o consagra no panteão dos filantropistas mais generosos de todos os tempos".

O editor de artes da BBC Will Gompertz lembra que, como muitos dos maiores museus do mundo, o Met foi fundado graças a doações de grandes filantropistas. Gompertz afirma que talvez a mais famosa doação veio do patrimônio de J. Pierpont Morgan, um dos primeiros presidentes do banco JP Morgan.

"Ele era um colecionador de arte entusiasmado e conhecedor, que adquiria obras de artes baseado (na afirmação de que) 'nenhum preço é alto demais para um objeto de beleza inquestionável e autenticidade conhecida'", afirmou.

"Julgando pela qualidade dos trabalhos cubistas doados por Leonard Lauder, ele colecionava com um espírito parecido. Não é a maior doação, mas é uma das mais significativas", acrescentou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.