Tamanho do texto

Desaparecida desde 1953, obra marca um ponto de inflexão na carreira do pintor

Uma aquarela preparatória da série "Os Jogadores de Cartas" de Paul Cézanne foi vendida nesta terça-feira (1) em Nova York por US$ 17 milhões (R$ 32 milhões) durante um leilão de arte moderna e impressionista organizada pela Christie's.

Siga o iG Cultura no Twitter

Desaparecida desde 1953 e localizada entre as propriedades de uma colecionadora do Texas neste ano, a obra marca um ponto de inflexão na carreira do pintor, já que mostra "o processo artístico que seguia para posicionar seus personagens, que usaria depois em suas obras-primas", explicou Sharon Kim, porta-voz da Christie's.

Também foi vendida por outros US$ 17 milhões "As Peônias", de Henri Matisse, e um retrato pintado por Pablo Picasso, em 1932, de sua amante Marie-Thérese Walter, que alcançou US$ 8,7 milhões (R$ 16 milhões). Também de Picasso, foi vendido por US$ 7,8 milhões (R$ 14 milhões) o quadro "Dos Desnudos Acostados", pintado em um só dia de 1968, e que, com seu fundo verde, constitui uma homenagem à obra prima de Edouard Manet (1832-1883) "Almoço Sobre a Relva".

"As Moças de Giverny", de Claude Monet, no qual o pai do impressionismo representou feixes de trigo que arremedam a silhueta de jovens contra a paisagem, foi arrematado por US$ 8,5 milhões (R$ 16 milhões).