professor
Aeronautcs and Astronautics/Universidade de Washington
Thomas Jarboe se entregou aos policiais sem oferecer resistência

Um acadêmico de astrofísica, recém-aposentado, assassinou a esposa com dois disparos de uma espingarda em sua casa no estado de Washington, nos EUA. O professor, que sofre do mal de Parkinson avançado e amnésia, se lembrou de chamar a polícia depois do ocorrido.


“Ouvimos os dois tiros”, disse um vizinho não identificado, conforme matéria da rede ABC. Ele também revelou que no ano passado algo parecia errado entre o casal: “muitas vezes podíamos ouvir gritos e discussões sobre medicamentos e o fato de ele não os tomar”.

Segundo a publicação, Thomas Jarboe , de 75 anos, ligou para polícia antes do amanhecer da última quinta-feira (8) para relatar a morte da esposa, Kay Saw, de 63 anos.

“O homem saiu de casa de boa vontade e se entregou aos policiais”, disse um porta-voz da polícia .“Quando eles entraram, encontraram a mulher morta lá dentro”.

Os registros dos autos mostram que Jarboe confessou ter matado a esposa com uma espingarda calibre 12, mas que teria sido em legítima defesa. “Ela tem abusado de mim, ela é minha cuidadora, mas está me destruindo completamente. Ela odeia todos os meus filhos e eles a odeiam também”, afirmou o professor em seu depoimento.

Segundo declarou a  Universidade de Washington , Jarboe se aposentou do Departamento de Aeronáutica e Astronáutica no ano passado e manteve o título de professor emérito, o que ainda lhe permitia permanecer ligado à escola, mas já não tinha nenhuma atribuição de ensino atual.

Mesmo sem ter histórico criminal, o juiz do caso determinou o pagamento de fiança de  US$ 2,5 milhões. Ele deve permanecer atrás das grades até sua próxima audiência no tribunal, no final deste mês.

    Veja Também

      Mostrar mais