museu
Captura de tela da câmara do museu
Turista



Um turista acabou saindo com lembranças raras de sua viagem a um museu - três dedos de uma estátua preciosa.


O fato se passou  no Museu Gipsoteca em Possagno, Itália, em 31 de julho, quando um austríaco de 50 anos foi pego em um vídeo de vigilância pulando na base de uma escultura do século XIX .


O turista se apóia no modelo de gesso da 'Paolina Borghese Bonaparte como Venus Victrix', enquanto posava para uma foto durante uma visita ao museu Gypsotheca Antonio Canova, na vila de Possagno, no norte. Ao se levantar, ele  arrancou parte do pé da escultura, examinou os danos e saiu 'casualmente' da sala. Três dedos foram danificados, disse a polícia.



Segundo os investigadores, três dedos do pé foram arrancados e "poderia haver mais danos à base da escultura que os especialistas do museu ainda precisam averiguar", observaram as autoridades.

Dentro do contexto de crise que se apresenta com  à pandemia de coronavírus , o museu implementou protocolos de segurança que exigem que os visitantes deixem suas informações pessoais para fins de rastreamento de contatos em caso de surto.

Quando a polícia entrou em contato com a mulher que havia se inscrito para si e para o marido, ela começou a chorar e confessou que o marido era o homem mais agressivo.

O homem, cuja identidade não foi divulgada, mais tarde confessou e reconheceu que era um "um ato estúpido", segundo a mídia local.

Enquanto um tribunal local decide se deve apresentar queixa, um funcionário da fundação do famoso escultor de mármore quer que o homem seja levado à justiça.

O culpado não deve "permanecer impune e retornar à sua terra natal. As cicatrizes de um Canova são inaceitáveis", escreveu Vittorio Sgarbi, presidente da Fundação Antonio Canova.

O museu está restaurando a escultura de gesso danificada, criada em 1804.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários