Coronavírus
NIAID
Imagem Novo Coronavírus



Novos encaminhamentos feitos por médicos demonstram uma situação mais crítica de como as pessoas morrem por pelo coronavírus. As autópsias encontraram coágulos sanguíneos em "quase todos os órgãos" das vítimas de coronavírus, de acordo com um dos principais patologistas da cidade de Nova York, que considerou os resultados "dramáticos".


Embora no início os médicos encontravam coágulos sanguíneos "em filas e vários vasos grandes" de pacientes com COVID-19. As recentes tratativas  autópsias mostraram que o dano é muito pior.

"A coagulação não ocorreu apenas nos grandes vasos, mas também nos pequenos", disse Rapkiewicz, presidente do departamento de patologia do NYU Langone Medical Center.

"E isso foi dramático porque, embora pudéssemos esperar nos pulmões, o encontramos em quase todos os órgãos que analisamos em nosso estudo de autópsia."

Estes relatórios também revelaram que grandes células da medula óssea chamadas megacariócitos - que normalmente não viajam para fora dos ossos e pulmões - circulavam para outras partes do corpo.


"Nós os encontramos no coração e nos rins, fígado e outros órgãos", disse Rapkiewicz. "Notavelmente no coração, megacariócitos produzem algo chamado plaquetas que estão intimamente envolvidas na coagulação do sangue".

As descobertas são semelhantes às de abril, quando os médicos do Monte Sinai detectaram sinais de espessamento e coagulação do sangue em diferentes órgãos.

Rapkiewicz disse que miocardite, ou inflamação do coração, não foi detectada nas autópsias, embora a condição tenha sido inicialmente suspeita nos primeiros dias do surto de coronavírus.

    Veja Também

      Mostrar mais