Waldeck Carneiro e Renan Ferreirinha
Divulgação
Waldeck Carneiro e Renan Ferreirinha

Antes do então prefeito do Rio Marcelo Crivella cair em desgraça, mesmo que a sua avaliação estivesse arranhada, ele tinha chances de se recuperar politicamente. A primeira possibilidade seria ocupar um cargo de ministro no Governo Jair Bolsonaro. Ou de embaixador em algum país onde a Universal do Reino de Deus tivesse boa penetração. Ocorre que com a sua prisão - e a acusação de que ele é chefe de uma quadrilha que monitorava a liberação de dinheiro para empresas ligadas a esquema criminoso - , os seus projetos desmoronaram. Rumo diferente tomou o seu sucessor. Eduardo Paes, ao montar um secretariado que consagra amplo espectro, devolveu a política aos políticos e, com este movimento, ele deslocou de posição aqueles que demonizam o diálogo e são oriundos da área de segurança.

NOVOS RUMOS

Paes deu um outro passo que pouca gente percebeu, mas que sinaliza que ele já está antenado com a sucessão estadual. Ele trouxe para perto os deputados estaduais como Renan Ferreirinha, Chicão Bulhões e Jorge Felippe Neto. E, federais com identidade com o estado. Esta semana mesmo, já começou uma corrida de consultas de políticos para emplacar projetos pela facilidade de diálogo com colegas que vieram da Câmara de Vereadores ou da Alerj. O deputado estadual Waldeck Carneiro (PT) vai conversar com as faculdades de educação do Rio (UERJ, UFRJ, UNIRIO e PUC-RJ) para propor parceria com a SME a fim de viabilizar formação continuada dos profissionais da educação (professores, pedagogos, merendeiras, etc) e conversar também com o Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES) para inclusão de alunos na Rede Municipal de Ensino do Rio em nível de cooperação. Ele tem muita entrada nas instituições citadas. O que fez o presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia da Assembleia foi reunir-se com o secretário municipal de Educação do Rio, Renan Ferreirinha. O mesmo tem acontecido em outras pastas. Novo ciclo para a política do Rio.

Partido da Mulher sob nova direção

Renata Esteves
Divulgação
Renata Esteves

A convite do presidente estadual do Partido da Mulher Brasileira (PMB), Sidclei Bernardo, a advogada Renata Esteves assumirá – com total liberdade – a presidência do partido em Niterói. A legenda surgiu em 2008, mas obteve o registro definitivo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2015. "Estruturar um partido é um desafio. É preciso pensar no bem dos niteroienses, e não só na governabilidade", afirma Renata Esteves.

Nada de mudar tarifa

O deputado federal David Miranda (PSOL) protocolou pedido ao MPRJ de providências em relação ao reajuste tarifário das linhas de trem e barcas que operam no estado do Rio de Janeiro, previsto para fevereiro. O parlamentar quer a adoção das medidas cabíveis para a garantia da permanência das tarifas atuais. "Este reajuste precisa ser invalidado, porque mostra-se incompatível com a atual situação econômica da população de trabalhadores, aliada à crise social, política e sanitária que atravessa o estado. O direito ao transporte é uma garantia constitucional”, diz David.

Direitos Humanos

Ao assumir seu segundo mandato à frente da Defensoria Pública do Rio de Janeiro, Rodrigo Pacheco quer trazer os direitos humanos para a centralidade da atuação da instituição em todas as áreas. Um dos destaques é o lançamento do projeto "Defensoria em Ação nas Favelas", em que equipes do órgão farão atendimento jurídico em várias favelas do estado.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários