Manchas de óleo
Agência Brasil

Manchas de óleo

Um ano e quatro meses depois do vazamento de óleo nas praias do Nordeste e do Sudeste, a Marinha e a Polícia Federal ainda não apresentaram conclusões sobre possíveis responsáveis pela tragédia ambiental que atingiu mais de 130 municípios.

À Coluna, o Centro de Comunicação da Marinha limita-se a posicionar que remeteu um relatório sobre as investigações do caso à PF. Diz ainda que, no total, foram recolhidas mais de 5 mil toneladas de óleo e resíduos oleosos, entre os estados do Maranhão e Rio de Janeiro, “devidamente destinados, observando protocolos ambientais”.

Ainda segundo a Marinha, dos cerca de 100kg recolhidos em junho deste ano – quando vestígios foram identificados em praias do litoral brasileiro -, estima-se que somente 30% sejam efetivamente óleo relacionado ao derramamento do ano passado.

A investigação conduzida pela Polícia Federal segue em sigilo, sem previsão de conclusão. A PF foi procurada pela Coluna para se posicionar sobre o andamento das apurações, mas não se pronunciou até o fechamento desta edição.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários