Não é por causa própria que muitos congressistas pensam em uma lei para diminuir o número de partidos no Brasil. Com a autorização da coleta de assinatura eletrônica feita pelo Tribunal Superior Eleitoral – ainda sem regulamentação – o número de pedidos de registros pode aumentar.

Partido Nacional Corinthiano
Partido Nacional Corinthiano
Partido Nacional Corinthiano

Uma pequena amostra de nomes dos 77 pedidos de oficialização de legendas em tramitação no TSE sugere que há tentativas, para não chamar de aberrações, de no mínimo curiosas, como PINA – Partido da Inelegibilidade Nacional; PSETE – Partido das Sete Causas; PNC – Partido Nacional Corinthiano, e o PIRATAS, assim mesmo, como diz a sigla.

Há também a volta da ARENA, o PRUABE – Partido da Reforma Urbana e Agrária do Brasil; o FRENTE – Partido da Frente Favela Brasil, entre outros achados na lista. Há também na fila nomes como Partido Manancial Nacional, Partido Nacional dos Servidores Públicos e do Setor Privado, Partido do Esporte e Partido dos Indígenas.

Não é segredo em Brasília – e o leitor já sabe: há legendas sérias, mas alguns partidos, grandes ou pequenos, são para fazer negócio envolvendo tempo de TV nas campanhas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários