Crusoé

trump
Joshua Roberts/Reuters
Trump deixa hospital e retorna à Casa Branca para continuar tratamento de Covid-19

Após passar três dias no hospital militar Walter Reed, em Maryland, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recebeu alta e retornou para a Casa Branca na noite desta segunda (5). "Estaremos de volta à campanha em breve", tuitou Trump minutos antes de embarcar no helicóptero.

Durante o tempo em que permaneceu no hospital, Trump fez o possível para mostrar que estava bem. Publicou fotos nas redes sociais em que aparecia trabalhando e fez uma visita surpresa aos apoiadores que estavam do lado de fora do hospital. Pela janela de um carro preto, Trump acenou para os seus eleitores.

O presidente também seguiu menosprezando a doença. Em um tuíte publicado nesta segunda, 5, ele afirmou: “Não tenha medo da Covid. Não deixe isso dominar sua vida. Nós desenvolvemos, sob a administração Trump, alguns medicamentos e conhecimentos realmente excelentes. Sinto-me melhor do que há 20 anos!”.

Há motivos para duvidar do bom estado de saúde alegado por Trump. Após dizer que a situação do presidente estava melhorando, no sábado, o médico da Casa Branca, Sean Conley, afirmou que Trump teve duas quedas na saturação de oxigênio no sangue.

O presidente também tomou o esteróide dexametasona, recomendado para pacientes que desenvolvem o quadro grave da doença e precisam de oxigênio suplementar ou ventilação mecânica.

Nesta segunda (5), Conley disse que Trump atendeu às exigências de saúde para ser liberado, mas que o presidente não está fora de perigo. Para justificar a saída do presidente, Conley afirmou que Trump continuará sendo acompanhado na Casa Branca.

“A equipe e eu concordamos que todas as nossas avaliações permitem o retorno seguro do presidente para sua casa, onde ele será acompanhado durante 24 horas por dia”, disse Conley.

Os médicos do Walter Reed deram recomendações aos profissionais da Casa Branca que irão cuidar de Trump. “No momento, não há nada que esteja sendo feito lá em cima ( no hospital ) que não possa ser feito com segurança em casa ( na Casa Branca )”, afirmou o doutor.

Conley também fez referências aos medicamentos que Trump tomou no hospital. “Estamos cautelosamente otimistas e atentos, porque estamos entrando em um território não explorado. Este paciente recebeu medicamentos muito cedo no curso da doença. Então, vamos acompanhá-lo neste final de semana. Se ele chegar até segunda do mesmo jeito ou melhor, então todos daremos aquele profundo suspiro final de alívio.”

Fonte:  Crusoé

    Leia tudo sobre: donald trump

    Veja Também

      Mostrar mais