Evo Morales ordena bloqueio de estradas e corta oxigênio para pacientes com Covid na Bolívia
Evo Morales ordena bloqueio de estradas e corta oxigênio para pacientes com Covid na Bolívia

O ex-presidente da Bolívia , Evo Morales, exilado na Argentina, voltou a recorrer a seu principal método de pressão política, ordenando que seus apoiadores realizem bloqueios de estradas para impedir a movimentação de pessoas e cargas em seu país.

Além de dificultar a distribuição de alimentos, os bloqueios ordenados por Morales atrapalham a entrega de oxigênio a hospitais com pacientes com Covid-19 em terapia intensiva. Segundo o Ministério da Saúde, trinta pessoas já morreram porque os bloqueios impediram a entrega de oxigênio.

“Na Bolívia , as UTIs dos hospitais públicos dependem do oxigênio líquido, que é produzido nas fábricas da Praxair, em Cochabamba e em El Alto, e enviado por caminhões para várias cidades, como La Paz e Oruro”, diz o médico Guillermo Cuentas, que foi ministro de Saúde da Bolívia diversas vezes até 2001.

“Os bloqueios paralisaram a distribuição de oxigênio para os centros hospitalares e criou uma tragédia dentro da tragédia. Sem oxigênio, um paciente com Covid-19 de gravidade moderada só pode aguentar por algumas horas. Um paciente em terapia intensiva consegue sobreviver por alguns minutos", declarou Cuentas.

O Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) da Bolívia decidiu adiar a data das eleições presidenciais para 18 de outubro. Evo Morales quer que as eleições ocorram em setembro e que a data definida não seja mais alterada.

“As bases mobilizadas devem refletir e decidir sobre a proposta de um documento para sair da crise que foi negociado entre o TSE, as organizações sociais e as Nações Unidas, como fiadoras, para definir uma data definitiva, imóvel e blindada de eleição por lei”, escreveu Morales no Twitter neste domingo (9).

Fonte:  Crusoé

    Veja Também

      Mostrar mais