undefined
Ayrton Vignola/ Estadão Conteúdo 14.03.2011
Articulação busca invalidar a delação premiada de Joesley Batista, dono da JBS

Há uma articulação político-institucional, movida por políticos e advogados, para invalidar a delação premiada de Joesley Batista , dono da JBS, com o pretexto de que a Procuradoria Geral da República foi benevolente com os empresários ao deixá-los livres.

Leia também: Delegados da PF soltam nota de "preocupação" com posse de Torquato

Caso o plenário do Supremo Tribunal Federal derrube a delação com essa motivação, vão para o brejo as denúncias contra o presidente Michel Temer e o senador Aécio Neves, que se livram dos inquéritos.

Neste caso, os Batista teriam de topar nova delação proposta pela PGR, mas sem as benesses oferecidas na atual, como liberdade, sem tornozeleira e – o melhor para eles – sem processos. As empresas dos Batista são alvo de pelo menos quatro conhecidas operações da Polícia Federal: Greenfield, Carne Fraca, Bullish e Zelotes.

Leia também: Esplanadeira: FHC balança sobre Planalto, recado de Dalmo e cofre do Sistema S

Evidentemente, os ministros da Corte não participam de conluio, mas é forte a pressão e tentativa de advogados das partes no convencimento dos nobres togados sobre essa tese de que a PGR errou.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários