undefined
Divulgação
Carros alegóricos e alunos performáticos brilharam nas ruas de Conceição do Almeida (BA)

A gincana pedagógica teve como base a Lei 10.639/03, que versa sobre o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana e ressaltou a importância da cultura no incentivo a inclusão, buscando direitos e lugar na sociedade.

Leia também: Congado: manifestação religiosa que contempla as raízes africanas

undefined
Divulgação
A Gincana Pedagógica é uma das atividades desenvolvidas dentro do projeto escolar CEMA

O evento – que, nesta edição, teve como tema "As palavras, as coisas e o mundo" – promoveu a integração entre as turmas, por meio da realização de tarefas culturais e sociais, que despertaram a criatividade, solidificaram o espírito de equipe e incentivaram a inclusão. "A gincana é desenvolvida como parte da avaliação de um projeto da escola Mandinho de Souza Almeida e tem como objetivo valorizar toda iniciativa artística e cultural desenvolvida pelos alunos", explica Marilson Carvalho, diretor do CEMA.

Leia também: No ritmo do samba. As raízes do gênero musical

Para quebrar paradigmas e incluir de verdade, em uma das etapas, as turmas tiveram como responsabilidade, dentro de uma reflexão temática, apresentar um desfile pelas ruas da cidade. Carros alegóricos e alunos performáticos deixaram as ruas da pequena Conceição do Almeida (interior da Bahia) ainda mais bonitas e movimentadas. Os temas abordados foram: amizade, amor. diversidade. sustentabilidade e cidadania. A população aplaudiu!

Leia também: Documentário sobre igualdade social mostra o lado bom das favelas do Rio

undefined
Divulgação
O desfile de encerramento celebrou o aniversário do Colégio Estadual Mandinho Almeida

Criativos, os alunos celebraram – em grande estilo – a final do evento na quadra esportiva da unidade escolar apresentando um desfile com inspiração em obras literárias como Tieta (romance do escritor baiano Jorge Amado) e Escrava Isaura (a heroína escrava branca), entre elas. "O objetivo é de fato revelar alguns talentos e elevar o autoestima dos mesmos, que no cotidiano da sala de aula, na maioria das vezes, não é perceptível", frisa o diretor do CEMA, orgulhoso com o resultado dos trabalhos.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários