Tamanho do texto

Felino é o mamífero mais veloz do mundo, podendo correr a até 112 km/h, velocidade mais de duas vezes maior que o recordista mundial Usain Bolt

Um novo estudo sobre o declínio da população de guepardos afirma que a espécie caminha para a extinção.

LEIA TAMBÉM:  Falta de vento deixa Pequim sob 'nuvem tóxica gigante'

Cientistas estimam que apenas 7,1 mil desses animais vivam soltos na natureza.

O guepardo é o mamífero mais rápido do mundo e pode alcançar 112 km/h, mais do que o dobro do velocista jamaicano Usain Bolt, por exemplo.

Os animais se alimentam espécies como gazelas e javalis. São também um dos carnívoros de maior alcance territorial no mundo, ou seja, percorrem enormes áreas.

LEIA TAMBÉM:  Pesquisadores desvendam técnica de corrida dos guepardos

Como se deslocam por grandes distâncias, costumam ultrapassar os limites de áreas protegidas, como parques e reservas, e estão cada vez mais sob risco da ação de fazendeiros que atuam em regiões em que o guepardo caça.

Outro grande problema é que filhotes estão sendo retirados da natureza para serem vendidos ilegalmente como animais de estimação.

Segundo o Fundo para Conservação do Guepardo (Cheetah Conservation Fund), cerca de 1,2 mil filhotes foram retirados da África nos últimos dez anos.

LEIA TAMBÉM:  Sucesso dos guepardos está na aceleração e não na velocidade

No passado, guepardos eram encontrados ao longo da África e da Ásia, numa faixa que se estendia do sul da África à Índia.

Estima-se agora, contudo, que existam apenas 50 deles na Ásia, segundo uma investigação da Sociedade Zoológica de Londres e do Fundo para Conservação da Vida Selvagem.

Os autores da pesquisa defendem que o guepardo seja reclassificado como espécie ameaçada e reivindicam ações urgentes para a conservação do animal.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.