Tamanho do texto

O Estado de São Paulo terá sua própria rede pública de graduação a distância. O projeto envolve o governo estadual e as três universidades paulistas - USP, Unesp e Unicamp.

A previsão do secretário de Ensino Superior, Carlos Vogt, é realizar o primeiro processo seletivo no próximo semestre e começar as aulas em agosto de 2009.

A Unesp deverá oferecer 5 mil vagas para o curso de pedagogia. A USP pretende abrir 900 de licenciatura em ciências e outras 700 em biologia. No total, serão 6,6 mil vagas. Os cursos a distância ainda não passaram pelos conselhos universitários e alguns ainda dependem do parecer de comissões internas das universidades, mas o secretário diz que há boas chances de aprovação.

Até agora, as áreas escolhidas estão relacionadas à formação de professores para o ensino fundamental e médio. Qualquer pessoa que reúna as condições para realizar um curso superior poderá participar do processo seletivo da Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp).

O projeto conta com o apoio da Fundação Padre Anchieta. Haverá um canal aberto que transmitirá o conteúdo dos cursos 24 horas por dia. Na internet, será utilizado o sistema Tecnologia da Informação no Desenvolvimento da Internet Avançada - Aprendizado Eletrônico. Por meio da ferramenta, os alunos terão acesso a grupos de discussão, videoconferência e conjuntos de exercícios, além do material de apoio no formato digital.

Mas nem todo o conteúdo será transmitido pela televisão e pela internet. Haverá também encontros presenciais em pólos espalhados pelo Estado, com o acompanhamento de monitores e professores. A duração das aulas não deverá ultrapassar oito horas semanais. As avaliações serão presenciais, como no ensino tradicional. As informações são do Jornal da Tarde.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.