Tamanho do texto

Roberta Tafner e Williams de Souza foram denunciados por duplo homicídio triplamente qualificado pela morte dos pais dela

selo

Roberta Tafner ao ser presa em 15 de dezembro de 2010
AE
Roberta Tafner ao ser presa em 15 de dezembro de 2010
O Supremo Tribunal Federal (STF) negou, nesta quinta-feira, habeas corpus a Roberta Nogueira Cobra Tafner e Williams de Sousa, acusados de matar a facadas os pais dela em Santana de Parnaíba no dia 2 de outubro de 2010. O casal está preso desde o dia 15 de dezembro.

O pedido foi negado pelo presidente do STF, ministro Cezar Peluso. O ministro considerou o pedido de liberdade inadmissível no momento, pois já foi negado, em tribunal superior, pelo relator do processo. Agora, o casal permanecerá preso até decisão final do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP).

Tafner e Sousa foram indiciados por duplo homicídio triplamente qualificado: motivo torpe, emprego de meio cruel e recurso que dificultou a defesa das vítimas. O pedido de habeas corpus já havia sido negado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) no último dia 10.

Moradores de Alphaville, o empresário Wilson Tafner, de 64 anos, e a advogada Tereza Cobra, de 60 anos, foram assassinado na madrugada do dia 2 de outubro do ano passado na residência em que passavam os finais de semana, em Santana de Parnaíba. Segundo a polícia, a filha e o genro do casal teriam cometido o crime por conta da herança.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.