Tamanho do texto

Prefeitura afirmou que alguns pontos onde casos são constantes estão em estudo para realização de obras

selo

Dos 125 pontos de alagamento registrados na cidade de São Paulo entre a noite de segunda-feira e a manhã de terça-feira, 30 são bem conhecidos do paulistano e ficaram inundados mais de uma vez desde o início do período de chuvas mais fortes, em setembro.

Endereços como o cruzamento da Radial Leste com a Avenida Álvaro Ramos, na zona leste, e da Avenida Sumaré com a Praça Marrey Júnior, na zona oeste, alagaram, respectivamente, oito e sete vezes entre 1º de setembro e ontem, de acordo com levantamento feito com base em informações disponíveis no site do Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura.

"O que percebemos é que tudo o que se fez para conter as enchentes não representou nada", afirma o engenheiro do Instituto de Engenharia, Marcelo Rozenberg. Segundo ele, a única maneira de evitar transtornos por causa da chuva é identificar e dar prioridade a obras de ampliação de galerias e desassoreamento de rios. Na Marginal Tietê, os alagamentos ocorrem normalmente embaixo das Pontes Cruzeiro do Sul, Bandeiras, Piqueri e Casa Verde. Isso porque, nesses pontos, a via é mais baixa do que o nível de cheia do rio.

A Prefeitura de São Paulo afirmou, por meio de nota, que alguns pontos onde alagamentos são constantes estão em estudo para realização de obras de ampliação de galerias. É o caso da interligação da Radial Leste com a Avenida Álvaro Ramos. No encontro da Avenida Sumaré com a Praça Marrey Júnior, a Prefeitura de São Paulo diz que o projeto executivo de macrodrenagem das bacias dos Córregos Sumaré e Água Preta está em fase de conclusão. Ele prevê obras de ampliação e reforço do sistema de galerias para esses córregos. As informações são do Jornal da Tarde.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.