Tamanho do texto

Verão foi com menos chuva do que o normal e com muito calor. Nova estação tem previsão de ser mais perto do normal

Estação de transição entre o verão e o inverno, o outono começou oficialmente às 13h57 (horário de Brasília) desta quinta-feira (20) no hemisfério sul. Após um verão mais quente e seco que o esperado, a estação deve ser marcada pela queda maior das temperaturas e leve redução das chuvas que chegaram mais tarde neste ano, apenas em março.

Verão:
Janeiro: São Paulo registra o mês mais quente da história
41,4º: Rio de Janeiro bate novo recorde de calor

"Tivemos um verão completamente fora dos padrões de normalidade. Extremamente quente, principalmente em janeiro e no começo de fevereiro, e extremamente seco, muito seco mesmo, em regiões onde geralmente chove bastante no verão, no sudeste, em parte do Paraná e no Centro-Oeste do País", afirma o meteorologista da Climatempo Alexandre Nascimento.

Reveja imagens do verão:

No outono é comum que caracteristicas de verão e inverno se alterem, com mudanças rápidas nas condições de tempo, maior frequência de nevoeiros e registros de geadas em locais serranos das regiões Sudeste e Sul.

Outra característica comum é a redução da chuva, em grande parte do País, com exceção do extremo norte da região Norte e no extremo norte e leste do Nordeste. Nas regiões Sul, Sudeste e parte da região Centro-Oeste do Brasil, a temperatura média cai gradativamente.

Na média, a chuva diminui ao longo do outono. No entanto, como grande parte do Brasil registrou um dos verões mais secos da história, a realidade muda um pouco. "Com o verão extremamente seco, pode secar mais? Obviamente que não. Tivemos um verão muito seco, mas em março começou a voltar a chover mais. A partir de agora a tendência é que as chuvas comecem a diminuir novamente", diz Nascimento.

De forma geral, é esperado um trimestre mais seco do que o normal em quase todo o País. A temperatura, que esteve extremamente alta no começo do ano cai gradativamente. Para 2014, não é esperado um período outono/inverno rigoroso.

Veja abaixo como deve ser o clima em cada mês:

Abril – Chuva continua irregular na maior parte do país, com concentração acima do normal apenas no extremo norte de Mato Grosso, em parte do Norte e no Nordeste.

Maio – Ainda deve chover mais do que a normalidade no norte do Nordeste e do Norte. No restante do país, pouca chuva – é possível que várias áreas do Sudeste e do Centro-Oeste passem o mês todo sem nenhuma chuva. A passagem de vários sistemas frontais pode deixar o tempo mais frio do que o normal no Sul e em parte do Sudeste, do Centro-Oeste e no sul da Amazônia (fenômeno da friagem).

Junho – A exemplo dos dois últimos anos podemos ter frentes frias capazes de provocar chuva acima do normal no país. Esses eventos (dois) serão curtos, mas podem trazer alívio imediato para os baixos índices de umidade para parte do Sudeste, do Centro-Oeste e do Sul. Mão não será chuva capaz de melhorar nível dos reservatórios.

Veja o que é esperado para cada região:

OUTONO ABRIL MAIO JUNHO
Sul Chuva abaixo da média e temperatura normal Abaixo do normal, com temperatura baixa Chuva de normal a acima da média, menos no sul do RS. Temperatura acima da média
Sudeste Chuva abaixo da média em SP e sul de MG. Acima no norte de MG. Temperatura normal Abaixo do normal, com temperatura normal Chuva de normal a acima da média, menos no sul do RS. Temperatura acima da média em SP e normal nos outros Estados
Centro-Oeste Chuva normal, ficando acima apenas no norte de MT. Temperatura normal Abaixo do normal, com temperatura baixa Um pouco mais de chuva do que o normal em GO e no DF. Temperatura acima da média em MT e MS
Norte Chuva de normal a acima da média. Temperatura normal Acima da média no norte. Mais frio do que o normal no AC e RO Abaixo da média em relação à chuva e mais calor do que o normal
Nordeste Chuva de normal a acima da média. Temperatura normal Acima da média no norte da Região. Temperatura normal, menos na BA Abaixo da média em relação à chuva. Temperatura normal, com exceção da BA





    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.