Tamanho do texto

Volume armazenado é o mais baixo da história. Governo prepara plano B para garantir abastecimento nas eleições

O nível de água do sistema Cantareira chegou a 14,9% nesta terça-feira (18), de acordo com a Sabesp. Está é a primeira vez que o volume armazenado fica abaixo de 15% desde que o sistema entrou em operação, em 1974. 

Leia também:

'Plano B' da Sabesp pode abastecer SP até as eleições, diz jornal

Falta de planejamento agrava problema da seca no Cantareira

Crises abrem corrida por energia limpa no mundo

Brasil constrói hidrelétricas sem reservatório e pode precisar da energia nuclear

Veja imagens do sistema Cantareira:

O governo começou nos últimos dias a instalar bombas que vão captar o chamado volume morto do sistema na represa de Atibainha. A água deve estar disponível para consumo a partir de maio e deve garantir o abastecimetno para cerca de nove milhões de moradores da Grande São Paulo até novembro, depois das eleições.

Segundo a Sabesp, as águas do fundo das represas ficam abaixo do nível das comportas, por isso a obra é necessária. Serão construídos dois canais de 3,5 quilômetros e, instaladas 17 bombas, que envolvem um investimento de R$ 80 milhões. A Sabesp garantiu que a água passará pelo mesmo tratamento da que é fornecida atualmente e terá, portanto, a mesma qualidade.

A companhia destacou ainda que o total de água no volume morto chega a 300 bilhões de litros, mas serão disponibilizados, neste momento, 200 bilhões de litros. Além disso, informou que essa quantidade será usada apenas se houver necessidade.

*Com Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.