Tamanho do texto

BRASÍLIA - O senador Mário Couto (PSDB-PA) produziu nesta quarta-feira mais um dos episódios tragicômicos do Congresso Nacional. Ao discursar no Plenário do Senado, defendendo com veemência a aprovação de um projeto sobre reajuste de aposentadorias, Couto disse que não sairia de sua cadeira, fazendo uma greve de fome e de banho até a matéria ser aprovada.

Agência Senado

Mário Couto sempre se notabilizou como um parlamentar contundente em suas declarações e principalmente nos ataques ao governo, geralmente bradando na tribuna do Plenário ou nas comissões do Senado. Dessa vez, atacou o presidente Lula pela suposta insensibilidade em reajustar pensões e aposentadorias do INSS e defendeu o projeto de lei 58 de 2003, cujo objetivo é de aumentar o valor dos benefícios.

"Se o PL nº 58, Senador, não vier a este Plenário, nós temos que tomar uma medida mais radical. O senador Mário Couto vai ficar aqui neste Plenário durante noite e dia, e espero que haja outros companheiros do meu lado, durante uma semana! Não quero nem tomar banho para ficar bem fedorento, para que sintam o fedor do meu corpo, esbravejou o tucano.

O discurso agradou muito a pelo menos uma parte dos assistentes: na platéia do plenário do Senado, houve muitos aplausos dos integrantes da Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap).

Leia mais sobre: Senado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.