Tamanho do texto

Para instituto, ZooNit não cumpriu "normas mínimas exigidas para funcionamento"

selo

Os últimos animais que permaneciam na Fundação Jardim Zoológico de Niterói (ZooNit), na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, estão sendo removidos nesta quinta-feira (21) pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). São 104 animais, entre eles, jabutis, araras, macacos-prego, corujas e o leão Dengo , que vai levado para Brasília em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). Após a retirada dos bichos, o ZooNit será fechado.

Agência O Globo
Leão Dengo vai ser levado para Brasília em um avião da Força Aérea Brasileira
Segundo o Ibama, ao longo de 22 anos, o ZooNit não cumpriu "as normas mínimas exigidas para funcionamento de um jardim zoológico, mantendo os animais em espaços inadequados em termos de tamanho, conservação e higiene".

Ainda de acordo com o órgão, a fundação recebia, destinava e soltava animais silvestres sem a autorização do Ibama, e não cumpriu um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado em 2004.

O ZooNit aguarda o julgamento de recursos contra a decisão da 3ª Vara Federal de Justiça de Niterói que autorizou a retirada dos animais e fechamento do zoológico.

Esta semana, o Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) propôs à 4ª Vara Cível de Niterói uma Ação Civil Pública para obrigar a prefeitura a assumir a administração do local.

"Caso o município não assuma as providências efetivas para manutenção do zoológico, diversos estudantes ficarão privados da visitação do espaço, assim como os demais visitantes, havendo prejuízos irreparáveis para a educação ambiental e o direito ao lazer e a cultura", informou o promotor de Defesa do Meio Ambiente de Niterói, Luciano Mattos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.