Tamanho do texto

Mulher de 27 anos teve o celular roubado e, quando tentou sair do vagão às pressas, sofreu a queda na Baixada Fluminense

Uma passageira perdeu um braço ao cair no vão entre o trem e a plataforma após sofrer um assalto dentro de uma composição da SuperVia, segunda-feira (15) à noite. Naiara de Sousa Ramalho Vaccari, de 27 anos, que voltava da faculdade para casa, teve o celular roubado e, quando tentou sair do vagão às pressas, sofreu a queda, na estação de Edson Passos, em Mesquita, na Baixada Fluminense. A Polícia Civil investiga o caso.

De acordo com a SuperVia, a jovem foi resgatada imediatamente por agentes de controle ferroviário. O Corpo de Bombeiros levou Naiara para o Hospital da Posse, em Nova Iguaçu. Com uma grave lesão no braço direito, a jovem foi submetida a uma cirurgia durante a madrugada de ontem e acabou tendo o membro parcialmente amputado.

Leia mais do Jornal Meia Hora:

Intolerância religiosa faz menina ser apedrejada

Não quis dar a pochete e morreu na frente da esposa

Assaltante abre o berreiro ao ser capturado por policiais

Segundo informações do hospital, a paciente segue internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e é acompanhada pelas equipes de clínica médica e ortopedia, além de receber apoio de profissionais de serviço social e psicologia. O estado de saúde dela é estável, mas requer cuidados.

Designada pela SuperVia, uma equipe de assistência social também acompanha o caso, que foi registrado na 53ª DP (Mesquita). A concessionária afirmou, em nota, que a segurança pública no sistema ferroviário é responsabilidade da Polícia Militar, que atua nas estações e nos trens, mas ressaltou que reforçou o seu efetivo de vigilantes de 50 para 90 homens.

Policiais foram ao hospital apresentar à vítima fotos de suspeitos com passagens pela polícia por roubo e porte de arma, mas a jovem, ainda debilitada, apontou três criminosos que estão presos. "Não existem câmeras na estação, nem na composição. Estamos verificando se há câmeras nas proximidades da estação, também estamos ouvindo funcionários da SuperVia e testemunhas", disse o delegado Matheus Romanelli, titular da 53ª DP.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.