Tamanho do texto

Advogado conta que depoimento inocenta seu cliente, apreendido após se entregar e apontar suspeito encontrado pela polícia como responsável pela morte de médico a facadas

Os três menores envolvidos na morte do médico Jaime Gold , dia 19 de maio, na Lagoa, zona sul do Rio, foram ouvidos nesta segunda-feira (8) pela juíza da Vara de Infância e Juventude do Fórum da Leopoldina, Michele Gouveia.

O advogado Alberto Júnior, que defende o primeiro menor, apreendido logo após o crime, sustenta que seu cliente é inocente. Segundo ele, isso foi confirmado na audiência de hoje pelo segundo menor, que reformulou sua versão, depois de, inicialmente, ter acusado o primeiro pela morte do médico.

Leia mais:  “Família, escola e Estado falharam com suspeito de crime na Lagoa”

Morre médico esfaqueado enquanto andava de bicicleta na Lagoa

“As declarações corroboram o que afirmamos desde o início: o primeiro adolescente foi apreendido equivocadamente. Ele é inocente. Ele estava em Manguinhos [na hora do assalto] e nada tem a ver com o fato. As declarações do segundo menor são favoráveis ao nosso cliente”, disse o advogado. Ele ressaltou que poderá ingressar com um pedido de habeas corpus em favor do menor apreendido.

Separadamente, os menores foram ouvidos durante uma hora e meia. Uma nova audiência foi marcada para o próximo dia 17. O primeiro menor foi apreendido dois dias após o crime. O segundo se entregou no dia 27 de maio, apontando o primeiro pelas facadas.

Um terceiro menor se entregou no dia 2 de junho e inocentou o primeiro. A polícia ainda não localizou a bicicleta roubada de Jaime nem a faca usada no assassinato.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.