Tamanho do texto

Vítima perdeu temporariamente os movimentos de três dedos da mão esquerda e quer voltar logo para a escola

Uma semana depois que uma facada mudou os rumos da vida de Pedro Arthur Britto Santa Cruz, de 18 anos, o estudante contou que ainda está muito abalado emocionalmente. Pedro perdeu temporariamente os movimentos de três dedos da mão esquerda. O estudante afirmou que o carinho dos amigos tem ajudado na recuperação.

Pedro Arthur:
Reprodução internet
Pedro Arthur: "Tem horas que estou bem. Em outras, chorar é inevitável"

Leia mais:

Esfaqueador cheirou, roubou, feriu e foi preso com a vovó

Vídeo mostra suspeito de esfaquear estudante fugindo após o crime; assista

"Tem horas que estou bem, na medida do possível. Em outras, chorar é inevitável", desabafou o rapaz, lembrando os momentos de terror que passou ao ser golpeado dentro de um vagão por homem que roubou seu celular. O jovem disse que quer logo voltar ao Colégio Pedro II, onde estuda.

O homem acusado de tê-lo esfaqueado no dia 30 de maio disse que está arrependido. Michael Douglas Gonçalves da Silva, o MK, um ano mais velho que a vítima, foi preso na terça-feira por agentes da 56ª DP (Comendador Soares), na casa da avó, na Baixada Fluminense.

Michael Douglas Gonçalves disse que estava sob efeito de cocaína no momento do crime
Divulgação
Michael Douglas Gonçalves disse que estava sob efeito de cocaína no momento do crime

Apesar dos ferimentos e do trauma, Pedro afirmou que sente ‘compaixão' pelo agressor. "Estou mais preocupado em como vou fazer pra amarrar meu cadarço sozinho. Sobre o homem que me esfaqueou, apenas sinto compaixão, afinal de contas, é apenas um ano mais velho que eu e não tem, nem teve, minhas oportunidades e perspectivas", comentou o estudante nas redes sociais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.