Tamanho do texto

A cada dois dias, segundo o Instituto de Segurança Pública, uma pessoa morreu no estado vítima de arma branca

Dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) mostram que, de janeiro a abril deste ano, 666 pessoas levaram golpes com facas ou tesouras no Rio. Em média, 5,5 vítimas foram feridas por dia em casos de homicídios, tentativas de homicídio, latrocínio (roubo seguido de morte) e lesão corporal dolosa (quando há intenção de ferir). Destas, 72 morreram. Isso significa que, a cada dois dias nos últimos quatro meses computados, uma pessoa morreu no estado vítima de arma branca.

Avó e tio do estudante Pedro Arthur Santa Cruz, esfaqueado em trem durante assalto no Rio
Carlos Moraes/Agencia O Dia
Avó e tio do estudante Pedro Arthur Santa Cruz, esfaqueado em trem durante assalto no Rio

Outro dado alarmante do ISP mostra a explosão no número de roubos de celular em 2015, com 78,7% de aumento no estado (de 2.043 registros em 2014 para 3.652 em 2015, computados apenas os quatro primeiros meses dos dois anos). Em muitos desses casos, bandidos com facas queriam os celulares ou bicicletas das vítimas, pertences levados do médico Jaime Gold, no dia 19 de maio, na Lagoa. Ele morreu na madrugada seguinte.

Também foi por causa de um celular que Michael Douglas Gonçalves da Silva, de 19 anos, identificado através de câmeras, esfaqueou o estudante Pedro Arthur Britto Santa Cruz, de 18, dentro de trem, sábado. O suspeito foi reconhecido pela vítima e também por pessoa que prestou socorro.

Leia também:

Vídeo mostra suspeito de esfaquear estudante fugindo após o crime; assista

Jovem de 18 anos é esfaqueado dentro de trem no Rio

Avó de estudante esfaqueado: 'Agora ele vai ter que usar um celular baratinho'

Michael é procurado por agentes da 24ª DP (Piedade). De acordo com a polícia, o foragido já possui cinco passagens, sendo quatro quando era menor. Ano passado, foi preso por roubo.

No Jornal Meia Hora: homem é esfaqueado em ônibus no Rio


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.