Tamanho do texto

Mesa de jantar caiu e o tampo de vidro quebrou em cima dele. Polícia investiga acidente em hotel da Barra da Tijuca

A morte de Valdemir dos Santos, o DJ Goleiro, de 37 anos, é investigada pela Polícia Civil. Conhecido por tocar em boates badaladas da Zona Oeste e em festas de diversos jogadores de futebol, ele, que também trabalhava como promotor de eventos, foi encontrado morto na noite de sexta-feira, dentro de um apartamento do Sheraton Hotel, na Barra da Tijuca.

DJ Goleiro, que já tocou em festas de Ronaldinho Gaúcho e Jô, atacante do Atlético-MG, estava sentando num cadeira com um corte no pé direito. No registro de ocorrência feito na 16ª DP (Barra), foi descrito que ele, uma mulher de 25 anos e um rapaz jantavam, por volta das 22h, sobre uma mesa de vidro, que estava em falso e despencou sobre o trio. A moça, que é moradora de Niterói, foi levada para o Hospital Lourenço Jorge, na Barra, com corte na perna direita, mas passa bem. Já o outro rapaz nada sofreu. Familiares e amigos do DJ Goleiro querem saber por que apenas ele não foi levado a uma unidade de saúde.

Leia mais do Meia Hora:

Dama da lotação troca óleo no busão com motorista e cobrador

Ciumento do mal é acusado de matar duas namoradas e ameaçar a atual

Pilantrildo aplicava golpes em mulheres que estavam sofrendo de amor

"Está tudo muito estranho. Acho que aconteceu alguma briga lá (quarto do hotel), mas estou esperando o laudo. Meu irmão e nenhuma das duas pessoas que estavam lá tinham condições de pagar a diária do hotel (R$ 850). O apartamento está no nome de uma pessoa que ainda não sabemos quem é", disse a irmã do DJ, Patrícia Lázaro Rodrigues, de 36.

DJ Tralha: ‘Nada é esclarecido'

Amigo há mais de 20 anos de Valdemir, Marcelo Alexandrino da Silva Oliveira, o DJ Tralha, desabafou: "O hotel não socorreu ele. Os seguranças subiram depois de 15 minutos. O que aconteceu? Somente a menina foi levada para o hospital. Estamos com dúvidas e nada é esclarecido".

Tralha contou que conheceu o DJ Goleiro nas peladas dos artistas em que ele agarrava. "Era um irmão para mim", disse.

Civil pede imagens

A 6ª DP (Barra) instaurou inquérito para apurar o que aconteceu. A delegacia aguarda laudos da perícia de local e do IML com a causa da morte. As duas pessoas que estavam no quarto já prestaram depoimento. Imagens de câmeras do hotel foram solicitadas pela polícia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.