Tamanho do texto

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), de Cascavel, órgão do Ministério Público do Paraná, e a Polícia Militar prenderam hoje, na região oeste do Paraná, nove pessoas acusadas de roubo, formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva e receptação. Entre os presos estão dois policiais militares da ativa e quatro ex-policiais.

Outro acusado era procurado pela polícia nesta tarde. A denúncia feita pelo MP aponta ainda dois policiais civis, mas contra eles não foi expedido mandado de prisão.

Os detidos são acusados de simular operações policiais parando ônibus, caminhões e automóveis que retornavam do Paraguai, para assaltá-los, e, em outras vezes, simplesmente sair atirando a esmo para parar os carros. "Faziam terror", salientou o tenente Gerson Zocchi, coordenador do Gaeco. "Eles tinham alvos pré-definidos, como os sacoleiros que tinham dinheiro e eram roubados."

A operação, chamada de Corsário, foi desenvolvida nos municípios de Cascavel, Medianeira e Santa Helena, onde também foram cumpridos 18 mandados de busca, com apreensão de quatro carros, seis armas, munição, dinheiro e mercadorias. Também foram encontrados fardamentos das polícias Rodoviária e Federal. Segundo a polícia, as investigações começaram há oito meses, mas o grupo atuava havia pelo menos um ano e meio. Zocchi ressaltou que, em razão de haver dois membros da ativa da PM na quadrilha, alguns equipamentos da própria corporação foram utilizados para os crimes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.