Tamanho do texto

Depois da farra das passagens aéreas, assunto que praticamente dominou o noticiário político do Congresso nas três últimas semanas, denúncias de abuso de prerrogativas oficiais chegam ao Judiciário. Segundo reportagem publicada nesta quinta-feira (30) na versão on-line da revista Istoé, doze ofícios emitidos entre fevereiro e dezembro de 2008 pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) dão conta de que um dos integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Carlos Alberto Menezes Direito, valeu-se do alto posto que ocupa na corte para beneficiar familiares e amigos.

Os documentos, que estão reproduzidos na matéria com timbre oficial do STJ, registram o suposto acesso ao esquema VIP que pessoas indicadas por Menezes Direito tiveram em embarques e desembarques no Aeroporto Internacional Maestro Antônio Carlos Jobim, no Rio de Janeiro ¿ o popular Galeão. Menezes, ministro do superior tribunal durante 11 anos, foi indicado pelo presidente Lula ao STF em agosto de 2007.

Leia a reportagem completa no Congresso em Foco

Leia tudo sobre a farra das passagens

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.