Tamanho do texto

A ação rápida de equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Montes Claros, em Minas Gerais, salvou no final da noite de terça-feira a vida de um bebê do sexo masculino que ainda era gestado. A mãe do recém-nascido, uma jovem de 24 anos grávida de sete meses de gêmeos, havia sido assassinada por seu ex-namorado, de 17 anos, cerca de 20 minutos antes de o parto ser realizado.

A outra criança não sobreviveu.

A dona de casa Cristiane do Carmo Silva estava em casa, no bairro Vargem Grande II, quando o menor chegou por volta de 22h50 pedindo que ela entregasse um documento que seria dele. Com medo, Cristiane não quis recebê-lo e entregou o documento por baixo da porta. O rapaz quebrou o vidro da janela e entrou na residência. A jovem correu para o banheiro, mas foi atingida na cabeça por uma bala que atravessou a porta.

O Samu foi chamado por um irmão da vítima. Duas equipes se deslocaram para o local. "Quando chegamos, ela já estava morta, mas ao virar o corpo de barriga para cima, percebemos que um neném ainda estava se mexendo e então decidimos fazer o parto no local", contou ontem o cardiologista Daniel Silva Ramos, que participou da ação.

A cesariana foi feita pelo médico Sérgio Barcalla Jorge. "Quando tiramos (as crianças), vimos que um bebê não respirava mais. Mas o outro estava com o coração batendo devagar, querendo respirar", lembrou Ramos. O recém-nascido foi levado para o Hospital Universitário Clemente Faria. Até o final da tarde de ontem, ele permanecia internado na UTI neonatal sob observação médica, mas seu quadro era considerado estável. As informações são do Jornal da Tarde.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.