Tamanho do texto

Compromisso firmado nesta segunda-feira por 24 grandes empresas e fundações brasileiras, no Rio de Janeiro

Combater a exploração sexual de criança e adolescentes foi o compromisso firmado nesta segunda-feira (23) por 24 grandes empresas e fundações brasileiras, no Rio de Janeiro. A iniciativa, proposta pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República e pela organização não governamental Terra dos Homens, recebeu a adesão de empresas estatais, como a Petrobras e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), além de empresas privadas, como a Vale.

O compromisso prevê que as empresas tenham ações concretas para sensibilizar funcionários, fornecedores e clientes sobre a exploração de crianças e adolescentes. O pacto também sugere que empresas estabeleçam cláusulas em seus contratos explicitando a rejeição a esse tipo de crime.

O acordo foi firmado na Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). Segundo o ministro da Secretaria de Direitos Humanos, Paulo Vannuchi, a ideia é atrair mais empresas para o compromisso, tanto no setor industrial quanto em outros setores da economia, como o comércio, os transportes, o financeiro e o de comunicação.

“Se houver o fenômeno da prostituição com pessoas acima de 18 anos, teremos um problema social importante, mas quando isso acontece com pessoas abaixo de 18 anos é uma violação de direitos humanos. Então temos de enfrentar com vigor e uma pressa absolutamente especiais”, disse Vannuchi.

A Firjan informou que vai promover uma campanha para estimular as mais de 10 mil empresas associadas a assinarem o compromisso. A Federação das Indústrias também marcou para 23 de agosto de 2011 uma reunião para avaliar os resultados do compromisso firmado hoje.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.