Nuvem de cinzas suspende voos em aeroportos do Sul do País

Empresas interrompem partidas e chegadas de voos no Rio Grande do Sul e Santa Catarina devido a aproximação na nuvem de cinzas

iG São Paulo | 09/06/2011 16:46 - Atualizada em 10/06/2011 09:21

Texto:
enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios

O avanço das cinzas do vulcão chileno Puyehue sobre o espaço aéreo do Sul do Brasil prejudica as operações nos aeroportos da região. Após cancelar voos para cidades da América do Sul, a Gol, a TAM, a Webjet e a Azul anunciaram a suspensão temporária das operações no aeroporto de Porto Alegre. Segundo boletim da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária
(Infraero), às 9h, o aeroporto registrava 27 voos cancelados.

A Gol também vai suspender as partidas e chegadas nos aeroportos de Florianópolis, Chapecó e Navegantes, em Santa Catarina. As empresas informaram que prestarão a assistência necessária aos passageiros, com reacomodação ou reembolso da passagem.

Segundo a Gol, as operações estão interrompidas nos aeroportos de Porto Alegre e Caxias do Sul. Nas cidades catarineses, a suspensão começará a partir das 4h desta sexta-feira. Com o ajuste na malha, a empresa programou operações extras antecipadas, com novos horários, para atender os passageiros. A Gol orienta clientes que viajariam às cidades com voos cancelados a permanecer em seus destinos de origem e contatar a companhia nos telefornes 0300-115-2121 (Brasil), 0810-266-3232 (Argentina) e 5098-2403-8007 (Uruguai).

Foto: AE

Painel mostra cancalemaneto de voos no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, nesta quinta-feira

A TAM suspendeu as operações em Porto Alegre das 21h da quinta-feira (9) até as 10h desta sexta. Em nota, a empresa anunciou que continua analisando as informações disponíveis sobre a densidade e o deslocamento da nuvem de cinzas e continuará avaliando a situação para retomar suas operações no Rio Grande do Sul, Argentina, Chile, Uruguai e Paraguai. Por isso, os horários anunciados nota podem mudar a qualquer momento, e os clientes da companhia devem ligar para a Central de Atentidimento da TAM antes de se dirigirem ao aeroporto, nos números: Brasil (4002-5700, nas capitais e 0800-570-5700, nas demais localidades), Argentina (0 810 333 3333), Chile (56 2 6767 900), Paraguai (595 21 659 5000) e Uruguai (000 4019 0223).

A Azul também optou por cancelar todos os voos com destino e origem de Porto Alegre até sexta de manhã. Segundo a companhia, os clientes serão contatados para remarcar os voo em uma nova data. Os passageiros podem obter mais informações na central de atendimento da empresa, pelo telefone 4003-1118.

<span>Passageiros esperam em aeroporto Jorge Newbery, de Buenos Aires, onde os voos foram cancelados ou atrasados por nuvem de cinzas de vulcão do Chile (10/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Mulheres descansam no aeroporto Jorge Newbery, de Buenos Aires, onde os voos foram cancelados ou atrasados por nuvem de cinzas de vulcão do Chile (10/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Sol é visto ao amanhecer em Buenos Aires, onde nuvem de cinzas de vulcão do Chile fez aeroportos cancelarem voos</span> - <strong>Foto: EFE</strong> <span>Aviões sujo de cinzas vulcânicas é visto no aeroporto de San Carlos de Bariloche, no sul da Argentina (07/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Imagem de satélite mostra expansão das cinzas do vulcão no sul do Chile (06/06)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong> <span>Turista francesa espera no aeroporto de Jorge Newbery, em Buenos Aires, depois de ter seu voo para o Uruguai cancelado (07/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Turistas brasileiros Vanessa e Lucas Bremm esperam em aeroporto de Buenos Aires depois de voo ter sido cancelado (07/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Relâmpagos são vistos sobre o vulcão Puyehue, a mais de 500 quilômetros ao sul de Santiago, no Chile (05/06)</span> - <strong>Foto: AP Photo/Francisco Negroni, AgenciaUno</strong> <span>Cinzas do vulcão Puyehue caíram na noite de sábado em Bariloche (05/06)</span> - <strong>Foto: AFP</strong> <span>Camada de cinzas cobre a cidade turística de Bariloche, na Argentina, neste domingo (05/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Tratores removem as cinzas das ruas de Bariloche (05/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Carro fica completamente coberto pelas cinzas do vulcão, em Bariloche (05/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Gramado do campo de golfe do hotel Llao Llao, em Bariloche, muda de verde para cinza (05/06)</span> - <strong>Foto: AFP</strong> <span>Homem lava a casa para limpá-la das cinzas do vulcão (Bariloche, Argentina) (05/06)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Fumaça do vulcão vista do vilarejo de Rininahue, do lado argentino da Cordilheira dos Andes (05/06)</span> - <strong>Foto: AFP</strong> <span>Cinzas cobrem as ruas da cidade de Trelew, na Argentina (05/06)</span> - <strong>Foto: AFP</strong> <span>Helicóptero militar sobrevoa área próxima às cinzas do vulcão (05/06)</span> - <strong>Foto: AFP </strong> <span>Cinzas invadiram a cidade de Bariloche (05/06)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong> <span>Tratores trabalham para limpar as cinzas de um resort em Bariloche (05/06)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong> <span>Residentes observam nuvem de cinzas expelidas do vulcão Puyehue em Rininahue, perto Lago Ranco, ao sul de Santiago, Chile (06/05)</span> - <strong>Foto: AP</strong> <span>Raios são visto ao redor da nuvem de cinzas do vulcão Puyehue, no Chile (06/05)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong> <span>Nuvem de cinzas do vulcão Puyehue, no sul do Chile (05/06)</span> - <strong>Foto: AFP</strong> <span>Nuvem de cinzas, com altura estimada em 10 km de altura, é vista sobre vulcão Puyehue, no Chile (05/06)</span> - <strong>Foto: Reuters</strong>

Segundo a Força Aérea Brasileira, um relatório emitido pelo Centro de Monitoramento da Argentina indicou que a nuvem poderia entrar no espaço aéreo a partir das 16h. Segundo o Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), poderiam ser atingidas as cidades gaúchas de Uruguaiana, Bagé e Santa Maria. Caso as condições atmosféricas se mantenham, no final da noite a nuvem poderia chegar a Porto Alegre.

As nuvens do vulcão chileno Puyehue voltaram nesta quinta-feira à região metropolitana da capital Argentina, Buenos Aires, afetando o funcionamento dos aeroportos. Como medida de prevenção de acidentes aéreos, todos os voos voltaram a ser cancelados, em um total de mais de 300. Segundo o serviço meteorológico, uma mudança na direção dos ventos talvez permita a retomada das operações na sexta-feira.

Texto:
enviar por e-mail
* campos são obrigatórios
corrigir
* campos obrigatórios

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG


Previsão do Tempo

CLIMATEMPO

Previsão Completa

  • Hoje
  • Amanhã

Trânsito Agora

Ver de novo