Michael Estevan Gonçalves, de 39 anos,  foi encontrado morto com sinais de tortura
Reprodução/redes sociais
Michael Estevan Gonçalves, de 39 anos, foi encontrado morto com sinais de tortura

Nesta segunda-feira, o corpo de um motorista de aplicativo foi encontrado com marcas de tortura em Belford Roxo, na região metropolitana do Rio de Janeiro. O homem estava desaparecido desde sexta-feira (11) e, segundo a esposa da vítima, a Polícia Militar debochou do caso quando a denúncia foi feita. 

Segundo relato da viúva, Patrícia Perdomo, à TV Globo, o marido Michael Estevan Gonçalves, de 39 anos, trabalhava como motorista autônomo para dois aplicativos e fazia uma viagem de Taquara para Belford Roxo quando desapareceu.  

A mulher acompanhava a localização do marido por um aplicativo de mensagens quando ele lhe dise que o pneu do carro teria furado. 

"Ele falou que daqui a pouco falava comigo, mas eu achei que para trocar o pneu do carro numa rua você tem que ouvir barulho, aí achei que ele estava dentro de algum lugar, liguei para ele e estava dando como desligado", disse a viúva.

Com a desconfiança, o irmão do motorista resolveu ligar para a o telefone de emergências da Polícia Militar. "O 190 disse que ele estava lá em cima com uma amante, que não era para ele se preocupar, não. Meu cunhado começou a brigar com o homem, falou uma porção de coisa", relatou Patrícia.

Você viu?

Segundo o jornal O Dia, antes de ter a morte confirmada, a cunhada de Michael, Eliza Gonçalves, chegou a compartilhar no Facebook um pedido de ajuda para encontrar o cunhado. "Meu cunhado Michael Estevan e motorista de aplicativo, fez uma corrida ontem às 21:00 para Belford Roxo e não retornou. Estamos todos desesperados, quem puder compartilhar, ou souber notícias… chama no privada , obrigado", dizia a postagem

À TV, a PM comunicou que o corpo foi encontrado com base em informações dadas pela família, mas não respondeu sobre o deboche denunciado pela esposa.

A Polícia diz ainda que não sabe o que aconteceu com Michael. A investigação do caso foi assumida pela Delegacia de Homicídios da Baixada que realizou a perícia e falou com parentes. 

Segundo a emissora, a Uber disse que Michael não fazia nenhuma viagem pelo aplicativo no momento e a "99" não retornou o contato.

Michael foi enterrado na manhã de hoje em um cemitério no bairro Paciência, na zona oeste da capital.

(Por meio da assessoria, o aplicativo "99" informou que não tem relação com o caso, pois a corrida na qual ocorreu o incidente, não foi realizada por meio da plataforma).



    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários