Polícia Civil conclui caso nesta semana
O TEMPO
Polícia Civil conclui caso nesta semana

Uma mulher de 29 anos foi acusada por homicídio culposo após seu sobrinho de 10 anos matar o primo, de nove anos, com uma arma de fogo encontrada em sua casa , em Betim . O caso aconteceu na regiao metropolitana de Belo Horizonte

Segundo as informações apuradas pela Polícia Civil, as crianças iriam passar alguns dias na casa da tia. Na noite anterior ao fato, os meninos acharam as armas escondidas no sofá, um calibre 38 e uma pistola 40, com suas identificações raspadas. Enquanto a tia dormia, eles brincaram com as armas carregadas e depois colocaram de volta no local a onde foram achadas. 

No dia seguinte, a tia saiu para uma consulta médica e deixou os sobrinhos sob responsabilidade de uma outra jovem, de 16 anos. Em determinado momento, essa jovem foi tomar banho e deixou os meninos sem supervisão. Naquela ocasião, eles pegaram as armas novamente para retomarem a brincadeira e o sobrinho mais velho dispara acidentalmente contra o mais novo. Em seguida, o Samu foi acionado mas a criança acabou não resistindo.

"A vítima estava brincando com a pistola, e a criança que efetuou o disparo, brincando com o revólver. De repente, ela aciona o gatilho e acerta as costas da vítima, que vem a óbito. A criança guarda o revólver de novo no sofá e chama a adolescente”, diz o delegado Otávio de Carvalho

Quando soube do ocorrido, a tia responsável pelos meninos fugiu e só foi encontrada pelas autoridades 30 dias depois do crime. Quando interrogada, ela disse que as armas pertenciam ao seu ex-companheiro, assassinado em abril, e que ela não tinha conhecimento de que as armas estavam escondidas em sua casa. Porém, com a investigação em processo, foi descoberto que ela tinha conhecimento sim de que as armas estavam escondidas.

A criança que fez os disparos não irá responder por nenhuma acusação por ser menor de 12 anos. Já a tia terá que responder pelos crimes de posse ilegal de arma de fogo, omissão de cautela na guarda da arma de fogo e por homicídio culposo, quando nao há intenção de matar, mas não foi presa. Ela apresenta endereço fixo e se mostrou muito abalada com o acontecimento.

Você viu?

O delegado Carvalho fala sobre como famílias com crianças pequenas, q ue vivem com posse de armas devem ter uma atenção redobrada para que a segurança das crianças e dos adultos não seja posta em risco. 

“As armas estavam com acesso muito fácil, guardadas na parte da frente do sofá da sala, era só levantar um pano que as crianças tinham acesso. Onde há arma de fogo e criança, deve haver a cautela devida, e a arma deve ser guardada com toda segurança para que fatos como esse não ocorram. Há um decreto presidencial regulamentando isso, a arma deve ser guardada em cofre, trancada com chave e em segredo”, declara o delegado. 





    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários