Bruno Covas
Agência Brasil/Rovena Rosa
Durante entrevista, Bruno Covas (PSDB) reafirmou que medida tem como intuito evitar que pessoas saiam de casa desnecessariamente.

O prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) afirmou que o atual modelo de rodízio irá se extender até que a cidade atinja uma taxa de isolamento social que esteja entre 55% e 60%, índice similar ao do começo da pandemia, em março. Declaração foi dada pelo prefeito durante entrevista ao SPTV no começo da tarde desta terça-feira (12).

Leia também: Mortes por Covid-19 são 3.979 no estado de São Paulo; casos chegam a 47.711

Além de confirmar que o rodízio irá ser prolongado até que a taxa seja atingida, Covas também reafirmou que a medida não visa melhorar o trânsito da cidade, mas sim impedir que as pessoas saiam de casa sem que seja necessário. O prefeito afirmou ainda que a medida foi combinada com o governo estadual.

Apesar de ter sido implantado na última segunda-feira (11), o modelo de rodízio gerou críticas da população, uma vez que, ao proibir a circulação dos carros, a medida causou aglomerações nos transportes públicos . Segundo governo do estado, Metrô e CPTM registraram aumento de 11%e 15% respectivamente. 

Implantado na capital paulista, o novo modelo de rodízio limita a circulação de veículos em todas as vias da capital por 24 horas . No modelo, automóveis com placas com finais ímpares circulam e veículos com placas pares não. No dia seguinte, a situação se inverte. Quem desrespeitar a medida será multado em R$ 130.

    Veja Também

      Mostrar mais