Campus Botucatu, no interior de São Paulo
UNESP/Divulgação
Campus Botucatu, no interior de São Paulo

A Universidade Estadual Paulista (Unesp) firmou parceria com a Kansas State University (KSU) para a implementação de um centro de biossegurança e doenças infecciosas emergentes (humanas, animais e agrícolas) no campus Botucatu . A cooperação tornará possível a realização de capacitação e treinamento para o desenvolvimento de pesquisas com biossegurança na UNESP.

A Kansas State University (KSU) possui um dos maiores e mais modernos centros de estudos nesta área em todo o mundo, o Biossecurity Research Center - Centro de Pesquisa em Biossegurança. Segundo o professor Marcellus Caldas, representante da área de relações internacionais da KSU, o aparecimento de doenças na agricultura pode causar impactos significativos na economia de um país e, por isso, é importante atuar na prevenção e controle do problema.

Veja também: Pessoas em situação de rua terão cota de emprego em obras públicas de São Paulo 

Para o professor Renato de Toledo Leonardi, da Assessoria de Relações Externas (Arex) da Unesp, a colaboração entre Unesp e KSU é de grande relevância para a universidade. "Com a maior aproximação e a colaboração com a KSU na área de biossegurança, vamos poder fazer mais pesquisas e de maior impacto do que as que temos feito. A KSU tem alguns dos laboratórios de estudos de vetores considerados entre os melhores do mundo. Vamos aproveitar o que nós temos de excelência na Unesp e vamos somar forças", explica.

Leia mais: Greve dos metroviários nesta terça é suspensa após acordo 

Além da KSU, a universidade consolidou ainda uma parceria com o Exército Brasileiro para a prospecção e o estudo de agentes patogênicos emergentes em áreas remotas do Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários