A prefeitura anunciou, nesta segunda-feira, números do "maior carnaval de todos os tempos" no Rio de Janeiro, que recebeu 2,1 milhões de turistas e 10,6 milhões de foliões em eventos pela cidade.

Leia também: Quase metade das brasileiras sofreu assédio ou importunação sexual no Carnaval

"Esses números são frutos de muita união e de muito comprometimento. Foi o maior carnaval de todos os tempos. Eu queria o Jorge Pelingeiro aqui para dizer " carnaval do Rio, nota 10",afirmou o presidente da RioTur, Marcelo Alves, que participou da coletiva, na Cidade das Artes, ao lado do secretário de Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos, Felipe Michel.

O titular da pasta destacou o trabalho feito pelas barreiras de segurança, instaladas pela primeira vez nos sete megablocos. De acordo com ele, no carnaval deste ano não houve atendimentos médicos por material perfurocortante. No ano passado, foram 108. Além disso, o número de furtos nos megablocos no Rio de Janeiro caiu de 100 para oito casos. Ao todo, os agentes apreenderam 1,4 mil garrafas de vidro, 252 facas, 27 estiletes, 18 armas de brinquedo e duas de choque.

Leia também: São Paulo recolhe 456,5 toneladas de lixo e atende 2483 pessoas no carnaval

"Houve uma pessoa que tentou esconder a faca enrolando dentro de fita adesiva e de esparadrapo, mas não passou. Foi um pente fino nos 23 pontos de bloqueio. Os nossos garis não recolheram nenhuma garrafa de vidro nesses grandes cortejos no Centro. Dessa forma, a PM e a Guarda Municipal entraram para a história com a segurança deste carnaval",afirmou Michel.

Os números também mostram que mais de R$ 100 milhões foram captados junto à iniciativa privada. Entre os 10 milhões de foliões, 7 milhões estiveram presentes nos blocos, 273.500 na Marquês de Sapucaí , 170 mil nos desfiles das escolas de samba da Intendente Magalhães e 28 mil pessoas no Terreirão do Samba, no Centro do Rio, que voltou a funcionar em abril deste ano.

Leia também: Crivella divulga vídeo que de apoio a Bolsonaro e fala em "perseguição"

Marcelo Alves citou também o combate aos blocos de carnaval não autorizados: foram 99 identificações por parte da prefeitura, com 13 multas já aplicadas. A Comlurb aplicou 1.150 multas para as pessoas que foram flagradas urinando nas ruas, com valor de R$ 607,54, e outras 64 do programa Lixo Zero, com valor de R$ 221,75, cada uma.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários